Embarques paraguaios de carne crescem 7,5%
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,142 (0,44%)
| Dólar (compra) R$ 5,62 (0,18%)


Agronegócio

Embarques paraguaios de carne crescem 7,5%

Entre janeiro e setembro de 2009 o país exportou 138,647 milhões de quilos de carne e miúdos
Por:
234 acessos
Entre os meses de janeiro e setembro de 2009 o Paraguai exportou 138,647 milhões de quilos de carne e miúdos. No mesmo período de 2010, esse volume aumentou para 149,112 milhões de quilos, de acordo com dados do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa). O volume exportado pelo Paraguai de carne bovina e miúdos de janeiro a setembro desse ano superou 7,5% o volume exportado no mesmo período de 2009.

O valor FOB pago por essas vendas aumentou de US$ 414,15 milhões para US$ 554,80 milhões, ou seja, 34%.

O principal comprador da carne bovina paraguaia é o Chile, que comprou 56,33 milhões de quilos até setembro por um valor total de US$ 265,698 milhões. O segundo maior comprador foi a Rússia, com um volume de 47,06 milhões de quilos e um valor acumulado de US$ 134,499 milhões.

Dentre outros países que também consomem o produto paraguaio, destaca-se a Venezuela com volume de 5,7 milhões de quilos por US$ 23,7 milhões, Israel, com 4,2 milhões de quilos por US$ 19 milhões, e o Brasil, com 3,2 milhões de quilos por US$ 15,9 milhões.

Outros mercados menores da carne bovina paraguaia foram: Angola (3 milhões de quilos por US$ 11,4 milhões), Vietnã (2,5 milhões de quilos por US$ 7,4 milhões), Arábia Saudita (1,7 milhão de quilos por US$ 4,1 milhões). Emirados Árabes, Holanda, Alemanha, Itália, Irã, Albânia, Taiwan e Líbano, por exemplo, compraram menos de 1 milhão de quilos do produto.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink