Embrapa adapta arroz de terras altas ao Sistema Plantio Direto

Agronegócio

Embrapa adapta arroz de terras altas ao Sistema Plantio Direto

Pesquisadores da Embrapa estão realizando pesquisas visando a adaptação do arroz de terras altas no Sistema Plantio Direto
Por:
1 acessos

Pesquisadores da Embrapa Arroz e Feijão, de Santo Antônio de Goiás (GO), estão realizando pesquisas visando a adaptação do arroz de terras altas no Sistema Plantio Direto (SPD). O trabalho está sendo desenvolvido pelo pesquisador Cleber Guimarães, da área de sistema de produção, que trabalha há mais de 10 anos na cultura do arroz no Centro-Oeste.

O SPD na região dos Cerrados encontra-se implantado em mais de cinco milhões de hectares e seus principais benefícios estão na melhoria da dinâmica da matéria orgânica, da atividade biológica e da estruturação do solo, por minimizar o revolvimento do solo e adicionar a este quantidades consideráveis de restos de culturas, graças à produção de palhada e às alternâncias com outras culturas adotadas pelo Sistema.

Outros benefícios são atribuídos à rotação de culturas, como melhoria dos atributos físicos e biológicos do solo, a redução de doenças, de pragas e de plantas daninhas. Pode-se afirmar, ainda, que a rotação de culturas aumenta a produtividade, assim como contribui para a sustentabilidade do sistema de produção.

Segundo Cleber Guimarães o plantio direto está presente em grande parte das culturas como a soja, milho, girassol, sorgo e feijão. O uso deste sistema tem tido um crescimento significativo em todo o país. Na região dos Cerrados ele destaca-se nos Estados de Goiás, Mato Grosso e nas novas fronteiras agrícolas dos Estados do Maranhão e Piauí.

"Neste sistema o arroz de terras altas produz além da média nacional que é de 3.234 Kg/ha . Entretanto, sua adaptação ao SPD ficará comprometida se o solo apresentar impedimentos físicos ao crescimento radicular e se houver restrita disponibilidade hídrica e de nutrientes, principalmente de nitrogênio nas áreas com baixo estoque deste nutriente no solo, como nas áreas de pastagens", observa.

Atualmente os pesquisadores da Embrapa estão priorizando ações que visam consolidar a presença da cultura de arroz de terras altas em sistemas de produção das regiões favorecidas dos Cerrados, particularmente, adaptando-a ao SPD.

Também fazem parte desta agenda, o consórcio de arroz com pastagem, no Sistema Barreirão (renovação de pastagem degrada) e no Sistema Santa Fé (integração lavoura-pecuária), assim como o sistema sob irrigação suplementar e o de abertura de novas áreas.

Os conhecimentos e tecnologias resultantes da pesquisa da Embrapa e de suas parceiras, obtidas ao longo dos últimos 30 anos de experiência com a cultura do arroz, envolve deste a parte de socioeconomia, mercado, melhoramento, manejo da planta, solo e fertilidade, manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas, entre outras linhas de pesquisa.

Um outro aspecto importante a destacar sobre o SPD se refere ao meio ambiente. Hoje, a conscientização ambiental torna-se cada vez mais uma realidade; entretanto a sociedade ainda se preocupa pouco com os efeitos que os sistemas de produção agrícola têm sobre o meio ambiente. Se por um lado é importante a atenção sobre os impactos que os sistemas de produção agrícola exercem sobre a manutenção da qualidade da água e do ar e sobre a preservação do solo e das reservas florestais, por outro, é importante, também, que os setores produtivos, grandes ou pequenos, modernizem-se e adotem técnicas que minimizem o impacto de suas atividades ao meio ambiente, sob pena de que, num futuro muito próximo, serão cobrados pela sociedade.

O Sistema de Plantio Direto, por ser uma técnica que minimiza o impacto que o sistema produtivo agrícola exerce sobre o meio ambiente será, certamente, cada vez mais adotado.

Por todos estes aspectos, a utilização do arroz de terras altas em SPD faz deste sistema um componente agrícola importante na sustentabilidade dos sistemas de produção e seu uso, também, em arroz irrigado pode incrementar a área de cultivo e a produção desta cultura, tendo em vista os benefícios que este sistema de cultivo proporciona à orizicultura.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink