Embrapa Agroindústria Tropical recebe presidente da Guiné-Bissau
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,162 (0,92%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)


Agronegócio

Embrapa Agroindústria Tropical recebe presidente da Guiné-Bissau

O objetivo da visita é conhecer trabalhos desenvolvidos pela Embrapa no agronegócio caju
Por: -Marianna
1137 acessos
A Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza/CE), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, recebe, no dia 26 de agosto, às 11 h, o presidente da Guiné-Bissau, Malam Bacai Sanhá. O presidente Malam Bacai vem acompanhado de uma comitiva de 25 pessoas, que inclui oito ministros e diversas autoridades do primeiro escalão do governo guineense. O objetivo da visita é conhecer os trabalhos desenvolvidos pela Embrapa no agronegócio caju.

A programação vai contar com uma apresentação do chefe-geral da Embrapa Agroindústria Tropical, Vitor Hugo de Oliveira, sobre a atuação da Unidade em pesquisa e desenvolvimento para agregação de valor aos produtos da cajucultura brasileira. Em seguida, o supervisor do Núcleo de Inovação Tecnológica, Fábio Paiva, vai apresentar os trabalhos de cooperação técnica em cajucultura na Guiné-Bissau. Os visitantes também irão conhecer a Unidade Móvel de Transferência de Tecnologia Agroindustrial - uma parceria entre o Sesi e a Embrapa.

Segundo Vitor Hugo de Oliveira, a empresa vem desenvolvendo ações na área de fruticultura tropical em países da África. Na sua avaliaçãol, esses países possuem algumas semelhanças com a Região Nordeste, não só no que diz respeito às condições de clima e solo, mas também às dificuldades econômicas e sociais. Vitor Hugo vê nessa cooperação uma ampliação da atuação da Unidade e de oportunidade de negócios para empresas nacionais, “principalmente metalúrgicas que produzem equipamentos para a agroindústria”, explica, uma vez que parte das tecnologias transferidas dizem respeito ao processamento e aproveitamento de frutas. Ele também considera que “o estreitamento das relações entre países produtores de caju é uma oportunidade para a afirmação da Embrapa como centro de excelência mundial em cajucultura”.

Guiné-Bissau
A produção de castanha de caju é o principal produto agroindustrial do país, que é o maior produtor africano de castanha e o sexto do mundo. Plantações de cajueiro são encontradas em todo o território nacional e ocupam cerca de 80% da população de 1,5 milhão de habitantes. Em pouco mais de 20 anos, a área cultivada passou de 3 mil hectares para cerca de 175 mil hectares, com uma produção de 100 mil toneladas, sendo 90% a 95% vendidas como matéria-prima para o exterior. Estima-se que 70% das propriedades possuem cultivo de caju.
A idéia do governo de Guiné-Bissau é melhorar a tecnologia de manejo, tratos culturais, controle fitossanitário, pós-colheita e melhoria no padrão genético das áreas de produção, além de desenvolver o processo de beneficiamento da castanha e iniciar o aproveitamento do pedúnculo do caju.

Diagnóstico
Durante viagem técnica realizada por pesquisadores da Embrapa Agroindústria Tropical à Guiné-Bissau, em 2007, foi constatado que o plantio é feito por semeadura direta no campo, o que ocasiona um número elevado de plantas improdutivas, resultando também na falta de uniformidade dos frutos. Outra constatação é que a utilização de espaçamentos variados favorece o surgimento de pragas e doenças. A falta de conhecimento de técnicas de colheita e pós-colheita e a incidência de doenças como seca-das-inflorescências, resinose, mancha-de-alga, mancha-angular e infecções de antracnose também são um entrave para o desenvolvimento do cultivo naquele país.

As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa Agroindústria Tropical.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink