Embrapa Agrossilvipastoril divulga 1º Boletim Agrometeorológico safra 16/17

Agronegócio

Embrapa Agrossilvipastoril divulga 1º Boletim Agrometeorológico safra 16/17

A Embrapa Agrossilvipastoril divulgou na última sexta-feira o primeiro Boletim Agrometeorológico da safra 2016/2017 em Mato Grosso
Por:
367 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A Embrapa Agrossilvipastoril divulgou na última sexta-feira o primeiro Boletim Agrometeorológico da safra 2016/2017 em Mato Grosso. O documento faz um balanço hídrico dos meses de agosto, setembro e dos 20 primeiros dias de outubro, quando começou a semeadura da soja no estado.

Com base em dados do Agritempo, CPTEC/Inpe e Inmet, o boletim confirma o início das chuvas mais cedo neste ano, em comparação com os anos anteriores. Ele também mostra que apesar de setembro ter sido mais chuvoso, sobretudo na região norte do estado, os vinte primeiros dias de outubro foram mais secos.

"Podemos ver que este ano as chuvas estão um pouco mais alinhadas com as médias históricas. Começou a chover mais cedo e em termos de volume total de chuva temos valores mais altos. Porém a distribuição está irregular, com valores não tão altos em outubro, quando começou a janela de semeadura em Mato Grosso", analisa o pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril Cornélio Zolin.

Nas regiões oeste e leste o veranico de outubro foi mais intenso, o que pode ter prejudicado o desenvolvimento de lavouras semeadas antecipadamente. Já a região sul do estado teve grande volume pluviométrico em outubro, superando a média histórica para o período.

O boletim traz também os dados da estação meteorológica da Embrapa Agrossilvipastoril, localizada em Sinop. O acumulado de 1º de agosto a 20 de outubro mostra um volume de 273 mm, sendo mais da metade, 171 mm, registrados em setembro. De 1º de outubro, quando começa o período de semeadura de acordo com o Zoneamento de Risco Agroclimático, até o dia 20, a precipitação registrada foi de apenas 40,3mm.

Outro dado apontado pelo boletim é o armazenamento de água no solo. Com as chuvas de setembro, a reposição hídrica no solo foi grande, chegando a 80% da capacidade de armazenamento. Porém a menor quantidade de chuva no início de outubro fez com que o armazenamento de água voltasse a cair para a metade da capacidade.

Boletins agrometeorológicos

A partir da safra 2016/2017 a Embrapa Agrossilvipastoril produzirá boletins agrometeorológicos. O objetivo é fornecer informações para o setor produtivo e agentes financiadores sobre a situação das chuvas em Mato Grosso e sobre a disponibilidade hídrica no solo.

Os boletins serão feitos em três momentos. Um nos dez primeiros dias de outubro, quando começa a semeadura no estado. O segundo será no início de janeiro, já próximo à colheita da soja. O terceiro contemplará a segunda safra, sendo feito em maio.

As datas, entretanto, podem variar de acordo com o surgimento de demandas específicas ou com a ocorrência de eventos meteorológicos extremos, como estiagem prolongada ou excesso de chuva.

De acordo com o pesquisador Cornélio Zolin, os boletins não têm a função de ajudar o produtor a tomar decisão no campo. Porém ele será um importante balizador para os agricultores e para as instituições financeiras no momento de negociar prazos e resgatar seguro agrícola em casos de frustração de safra

Confira aqui o boletim

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink