Embrapa apresenta mais de 30 tecnologias na AgroBrasília 2016
CI
Agronegócio

Embrapa apresenta mais de 30 tecnologias na AgroBrasília 2016

Soluções tecnológicas para agricultores e pecuaristas, além de eventos técnicos marcam a participação da Embrapa na AgroBrasília 2016.
Por:

Um vasto leque de soluções tecnológicas para agricultores e pecuaristas, além de eventos técnicos com pesquisadores marcam a participação pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) na AgroBrasília 2016 – Feira Internacional dos Cerrados, promovida pela Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (COOPA-DF) de 10 a 14 de maio no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, no PAD-DF, Distrito Federal. Além do estande e da vitrine de tecnologias, a Embrapa conta com estações no Espaço de Valorização da Agricultura Familiar (EVAF), da Emater-DF.

Lançamentos

Na quinta-feira (12), às 10h, a Embrapa vai lançar a cultivar de soja BRS 7780IPRO e o livro "Hortaliças de propagação vegetativa: tecnologia de multiplicação". Desenvolvida pela Embrapa Cerrados (Planaltina, DF) em parceria com a Fundação Cerrados e a Fundação Bahia, a BRS 7780IPRO é uma cultivar de soja transgênica com tecnologia Intacta. Indicada para as áreas produtivas de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso e Distrito Federal, apresenta elevado teto produtivo, estabilidade produtiva e flexibilidade na data de plantio. Tem moderada tolerância ao nematoide de galhas M. incognita e resistência ao herbicida glifosato. Oferece proteção contra as principais lagartas da cultura da soja: lagarta da soja (A. gemmatalis), lagarta falsa medideira (C. includens e R. nu), lagarta das maçãs (H. virescens) e broca das axilas ou broca dos ponteiros (C. aporema), além de supressão às lagartas do tipo Elasmo (E.lignosellus) e Helicoverpa (H. zea e H. armigera).

Elaborada por pesquisadores e analistas da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS), Embrapa Hortaliças e Embrapa Produtos e Mercado (Brasília, DF), a publicação "Hortaliças de propagação vegetativa: tecnologia de multiplicação" apresenta informações sobre os principais aspectos do processo de produção de espécies olerícolas de propagação vegetativa, como alho, batata, batata-doce, mandioquinha-salsa e morango. São abordadas em detalhes todas as etapas do sistema de multiplicação e produção comercial de mudas ou propágulos com elevada qualidade fitossanitária e alto potencial produtivo.

Na oportunidade, também serão divulgados os editais para licenciamento de viveiristas para produção das cultivares de maracujazeiros BRS Rosea Púrpura, de flores rosadas, e BRS Céu do Cerrado, de flores azuladas, bem como da cultivar de maracujazeiro silvestre BRS Sertão Forte.

Estações no EVAF/Emater-DF

O Espaço de Valorização da Agricultura Familiar (EVAF), da Emater-DF, vai mostrar, entre outras tecnologias, soluções da Embrapa voltadas ao agricultor familiar.  A empresa de pesquisa participa em duas estações temáticas: o Circuito de Energias Renováveis, organizado pela Embrapa Agroenergia (Brasília, DF) e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), e a estação de Gestão Ambiental, apresentada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília, DF).

Para mostrar aos pequenos produtores as diversas fontes de energias renováveis que podem ser usadas na propriedade, a Embrapa Agroenergia e o MDA vão abordar as pesquisas para ampliar a aplicabilidades dessas fontes. A Unidade vai apresentar o biogás e produzir biodiesel ao vivo, além de mostrar as matérias-primas para essa produção. Já a equipe do MDA vai explicar como o agricultor familiar participa do Programa Selo Combustível Social.

Já a estação Gestão Ambiental focaliza a restauração do Cerrado. O visitante vai conhecer métodos de recomposição da vegetação nativa do Bioma, que serão apresentados. Daniel Vieira. Eles e abrangem diversas opções, de acordo com a necessidade e perfil dos produtores. As práticas de restauração ecológica demonstradas incluem: regeneração natural sem manejo, controle das plantas competidoras, adensamento, enriquecimento, nucleação, semeadura direta e plantio por mudas.

Além das duas estações, a unidade demonstrativa e de observação do Sistema Agrossilvipastoril - Leite Orgânico vai apresentar diferentes tecnologias produzidas pela Embrapa Cerrados em sistema orgânico de produção. No sistema, foram utilizadas estratégias de correção e adubação do solo como o uso do calcário e gesso agrícola, rochagem e adubação verde. Foram desenvolvidas avaliações do desempenho técnico e econômico da parte arbórea com o eucalipto e de árvores nativas do Cerrado, além de culturas agrícolas – mandioca, batata doce, banana prata e o maracujá BRS Pérola do Cerrado. O sistema também avaliou a integração da parte pecuária pelo incremento no ganho de peso de novilhas meio-sangue da raça Gir Leiteiro utilizando-se a pastagem de braquiária ruziziensis, feijão guandu BRS Mandarim e o capim elefante BRS Canará, além do cultivo do milho variedade BR 106 para silagem.

Vitrine e estande

No espaço dedicado à Embrapa na AgroBrasília, os visitantes terão acesso a produtos e tecnologias desenvolvidos pela Empresa e seus parceiros. Entre as tecnologias que serão apresentadas na vitrine, destaque para a cultivar de soja que será lançada durante o evento, a BRS 7780IPRO, importante para o manejo integrado de pragas, além da cultivar BRS7380 RR, lançada na AgroBrasília de 2015 e que possui ciclo precoce, resistência ao herbicida glifosato e resistências múltiplas a nematoides.

Os visitantes poderão conhecer a tecnologia de Integração Lavoura-Pecuária implantada com milho e sorgo, culturas que se destacam nesse sistema devido ao potencial que apresentam em qualquer tamanho de propriedade rural e por serem boas opções para consórcio lavoura-pasto. São consideradas culturas estratégicas, pois atendem tanto à produção de grãos como à de forragem. A vitrine apresentará também os seguintes materiais de sorgo: BRS 658 (sorgo forrageiro, próprio para silagem), BRS 380 e BRS 373 (sorgos graníferos, de porte baixo e destinados à safrinha).

O público também conhecerá a BRS 387, um híbrido simples de girassol, de dupla aptidão (óleo para indústria e alimentação para pássaros), de ciclo precoce e extremamente produtivo. O girassol é uma cultura alternativa para o sistema de produção agrícola de safrinha do Cerrado. Serão apresentadas, ainda, cultivares de forrageiras adaptadas a diferentes condições ambientais e sistemas de produção pecuários. Destaque para a cultivar híbrida BRS Tamani (Panicum maximum), a mais nova opção para a produção animal a pasto do Bioma Cerrado.

Serão apresentadas as cultivares de trigo BRS 394 e BRS 404, lançadas em 2015. A primeira se destacou já no primeiro ano de cultivo, alcançando 7.500 kg/ha. A segunda é destinada ao cultivo de sequeiro, tem alto potencial de produtividade e boa qualidade industrial para panificação. Outra característica importante é a tolerância à brusone, o que permite melhor manejo da lavoura para reduzir os custos de produção. Também podem ser conferidas as cultivares de quinoa BRS Peabiru e as de mandioca de mesa lançadas em outubro de 2015: BRS 396, BRS 397 e BRS 399, de coloração da polpa da raiz amarela; e a BRS 398, raiz creme. Os materiais são mais nutritivos, de maior produtividade, colheita precoce e manejo mais fácil em comparação às mandiocas convencionais.

Os visitantes terão a oportunidade de conhecer também o sistema denominado Sistema Filho – Fruticultura integrada com lavouras e hortaliças. Trata-se de um sistema desenvolvido para a produção integrada de frutas, lavouras de grãos e hortaliças em consórcios irrigados. 

A vitrine contará ainda com um espaço dedicado a variedades de pimentas, como a BRS Juruti, cultivar de polinização aberta, desenvolvida para atender tanto o mercado de frutos frescos como a agroindústria. Além de altamente picante e aromática, a cultivar apresenta resistência múltipla a doenças, alta produtividade e uniformidade de plantas e frutos. As outras pimentas apresentadas são BRS Nandaia (alta produtividade, uniformidade de plantas e frutos, além de resistência múltipla a doenças), BRS Moema (alta produtividade e uniformidade, além de ausência de ardor) e BRS Seriema (boa produtividade e frutos pequenos, próprios para o processamento em conservas)

As demais hortaliças apresentadas são a abóbora BRS Brasileirinha (de casca verde e amarela e combinação nutricional com betacaroteno e luteína, que auxiliam na prevenção de problemas cardiovasculares e oftalmológicos); as cultivares de alho BRS Hozan (alta qualidade de bulbos, dispensando a vernalização em condições tropicais) e Amarante (livre de vírus); as batatas-doces Beauregard (alto teor de beta-caroteno) e Brazlândia Roxa (resistência a pragas de solo); a berinjela Ciça (resistente às principais doenças da cultura); a cenoura BRS Planaltina (maior rendimento industrial na produção de minicenouras); e os tomates BRS Imigrante (híbrido rústico, com tolerância ao begomovírus e ao fungo Fusarium raça 3),BRS Iracema (sabor adocicado, altos teores de licopeno, antioxidante que minimiza os efeitos causados pelos radicais livres no organismo), BRS Nagai (resistência aos principais vírus que atingem o tomateiro, como o tospovírus e o geminivírus) e BRS Zamir (destaca-se pela produtividade e pelo tempo de prateleira).

Ao lado das hortaliças, equipamentos para pós-colheita ficarão em exposição na vitrine da Embrapa, entre eles uma estação de trabalho composta por Unidade Móvel de Sombreamento (UMS), estrutura simples e de baixo custo que deve ser instalada próxima à lavoura para que as hortaliças sejam imediatamente removidas para a sombra após a colheita. Além da UMS, a mesa de classificação com altura regulável e ocarrinho de transporte de caixas compõem o conjunto de equipamentos que visam maior qualidade para os produtos colhidos e maior bem-estar e saúde para o agricultor.

Um local da vitrine dedicado às variedades de maracujá vai apresentar o maracujá silvestre BRS Pérola do Cerrado, cultivar lançada em maio de 2013 e que a cada dia conquista mais consumidores no Brasil e até mesmo no exterior, além dos híbridos BRS Estrela do Cerrado, BRS Rubiflora, BRS Roseflora, BRS Céu do Cerrado e BRS Rosea Púrpura, variedades de maracujazeiro ornamental. Haverá ainda degustação do maracujazeiro silvestre BRS Sertão Forte, nova cultivar que será lançada em julho deste ano.

O público que visitar o espaço receberá, ainda, materiais de divulgação dessas tecnologias e poderá tirar dúvidas com profissionais da Embrapa que estarão no local especialmente para prestar esse atendimento.

No estande, a Livraria Embrapa, coordenada pela Embrapa Informação Tecnológica (Brasília, DF), estará mais uma vez presente, com a venda de livros editados pela Embrapa a partir do resultado das pesquisas desenvolvidas nas mais de 40 unidades descentralizadas da Empresa. Além das tecnologias expostas na vitrine, a Embrapa Cerrados vai realizar apresentações sobre realidade virtual na agricultura com o uso de smartphones, mostrando como a tecnologia pode demonstrar sistemas agropecuários de produção.

A Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP) vai destacar quatro tecnologias. O aplicativo móvelAgritempo permite o acesso, via Internet, às informações meteorológicas e agrometeorológicas de diversos municípios e estados brasileiros. Além de informar a situação climática atual, a base de dados do sistema apoia o desenvolvimento das recomendações do Zoneamento Agrícola de Riscos Climáticos (ZARC), política mantida pelo MAPA. O aplicativo conta com mapas de monitoramento, previsão do tempo, índice de seca e de chuvas.

A Unidade vai demonstrar o Embrapa Invernada, um sistema avançado de apoio ao planejamento de produção de bovinos de corte. O sistema permite simular e comparar opções de manejo distintas, por meio de cenários que representam situações como o pastejo exclusivo, o pastejo com suplementação ou o confinamento. Permite ainda a formulação otimizada de dietas e incorpora um banco de dados de clima e alimentos, além do que há de mais moderno para a simulação do crescimento de pastagens, do pastejo e do crescimento de animais.

Já o SATVEg é uma ferramenta Web, de uso gratuito, destinada à observação e análise de perfis temporais de índices vegetativos (NDVI e EVI), derivados de imagens MODIS. São índices que permitem observar o comportamento da vegetação na superfície terrestre ao longo do tempo. Será apresentado, ainda, o serviçoInformação Tecnológica em Agricultura (Infoteca-e), que dá acesso a informações sobre tecnologias produzidas pela Embrapa. As coleções são formadas por cartilhas, livros para transferência de tecnologia, bem como programas de rádio e de televisão com linguagem acessível a produtores rurais, extensionistas, técnicos agrícolas, estudantes e professores de escolas rurais, cooperativas e outros segmentos da produção agrícola.

Apresentado pela Embrapa Hortaliças, o "sistema gasoso de controle de irrigação" é usualmente denominado por sua marca registrada, "Irrigas". As aplicações no manejo de irrigação são úteis em ambientes tão variados quanto casas-de-vegetação, vasos de plantas ornamentais e aplicações agrícolas diversas com sistemas de irrigação como o gotejamento, aspersão e sulcos, indicando quando o produtor deve irrigar a horta, economizando água e garantindo o desenvolvimento pleno das plantas.

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia destaca o Serviço de conservação de raças comerciais de interesse zootécnico que estará à disposição do público, oferecendo aos pecuaristas brasileiros a oportunidade de conservar seus rebanhos comerciais no Banco Genético da Embrapa, um dos maiores e mais modernos do mundo, em botijões de nitrogênio líquido a 196ºC abaixo de zero, com total segurança e sem qualquer custo.

Outro destaque da Unidade é o Chip de Genotipagem de Eucalipto. Denominado EucHIP60k, o chip de genotipagem tem elevado potencial de aplicação no setor florestal de vários países, pois foi desenvolvido com base nas 10 espécies de eucalipto mais utilizadas mundialmente. Permite a análise simultânea de 60 mil marcadores moleculares distribuídos por todo o genoma da planta, reduzindo em até 50% o tempo utilizado no melhoramento genético e proporcionando redução de custos. O chip permite que o produtor plante apenas espécies selecionadas com as características procuradas, como produtividade, crescimento, tolerância à seca e resistência a doenças, entre outras.

Eventos

Na terça-feira (10), a Emater-DF, a Embrapa Agroenergia e a Coordenadoria de Biocombustíveis do MDA promovem o Seminário de Energias Renováveis para Agricultura Familiar. O evento será realizado às 10h no auditório da Emater-DF na AgroBrasília. Mais informações pelo telefone (61) 3448-1581 ou pelo e-mailagroenergia.eventos@embrapa.br.

Nos dias 10, 11 e 12, o pesquisador João Paulo Soares, da Embrapa Cerrados, participa do Dia de Campo "Sistema Agrossilvipastoril Orgânico", que será realizado na Unidade de Pesquisa Participativa em Produção Organica (UPPO/SSP) da AgroBrasília. Ele fará apresentações, das 9h às 10h, sobre produção orgânica de leite. No local estarão expostas diversas tecnologias da Embrapa adaptadas para sistemas de produção orgânica.

Na sexta-feira (13), a Embrapa participa de dois eventos. Pela manhã, será realizado o Dia de Campo "Intensificação Sustentável da Agricultura", na área de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta da AgroBrasília. Serão cinco estações: "Plantio Direto no Contexto da Conservação da Água e do Solo", "Experiência da Fazenda Maringá", "ILPF: desafios e oportunidades", "Serviços Ecossistêmicos (Serviços Ambientais)" e "Oportunidades do Plano ABC", com a participação dos pesquisadores Jorge Werneck (Embrapa Cerrados) e Abílio Pacheco (Embrapa Produtos e Mercado). Durante o Fórum "Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono", promovido pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o pesquisador Paulo Armando de Oliveira, da Embrapa Suínos e Aves (Concórdia, SC), apresenta a palestra "Tecnologias adotadas no Plano ABC".

E no dia 13, o seminário "Comunicação para o Desenvolvimento do Agronegócio", a partir das 14h no Auditório Buriti, contará com a participação do pesquisador Antônio Heberlê, do Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT), que fará a palestra "Comunicação para o desenvolvimento", e da analista Margarida Gorga, também do DTT, que vai moderar o painel "TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação".


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.