Embrapa investe em trigo de ciclo precoce

Agronegócio

Embrapa investe em trigo de ciclo precoce

BRS Sabiá promete alta produtividade em um espaço de tempo de produção menor
Por:
4259 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

BRS Sabiá promete alta produtividade em um espaço de tempo de produção menor

A busca por cultivares de ciclo precoce tem ganhado a preferência dos produtores paranaenses. Muito comum em soja e milho, a precocidade acaba de chegar na cultura do trigo. A Embrapa Soja, em parceria com a Fundação Meridional, já disponibiliza no mercado a nova cultivar BRS Sabiá classe pão de ciclo precoce. Do plantio até a colheita, o tempo de produção da cultivar é de 110 dias, variando de 10 a 15 dias a menos se comparado a uma semente comum.

Manuel Carlos Bassoi, desenvolvedor da variedade, afirma que o objetivo da BRS Sabiá é atender uma demanda antiga do produtor, que é ter um trigo com um ciclo mais curto. O foco é evitar maior exposição da cultura às intempéries e também antecipar o plantio da safra verão. Contudo, o produtor precisa ter ciência de que variedades de ciclo precoce também geram riscos se não forem implantadas no período certo.

Ralf Udo Dengler, gerente executivo da Fundação Meridional, explica que como a janela de cada etapa de desenvolvimento da planta é encurtada em uma cultivar precoce, um pequeno período de seca, por exemplo, pode interferir e muito no resultado final, ou seja, na produção. Udo revela que se o triticultor plantar no período certo e obedecer a assistência técnica, a BRS Sabiá pode oferecer um resultado muito bom.

Dengler recomenda o plantio da cultivar no Paraná a partir do dia 20 de abril. Nesse período há poucas chances do trigo sofrer com as intempéries, a exemplo do excesso de chuva, da seca ou até mesmo da geada. O gerente da Fundação Meridional revela ainda que muitos produtores do Oeste paranaense não obedecem à recomendação e plantam cada vez mais cedo, ação essa que favorece a proliferação de doenças como a giberela, que ataca as espigas do trigo.

Bassoi afirma que a BRS Sabiá é moderadamente suscetível à giberela. Ele alerta que a variedade também é suscetível à brusone, doença que também ataca as espigas. Contudo, a cultivar é resistente ao oídio, doença foliar com alto poder destrutivo.

Características
Em testes realizados na região de Guarapuava (Sul), a produtividade da cultivar chegou a 5.438 quilos por hectare, contra 5.122 kg/ha se comparada a uma variedade padrão. De acordo com Bassoi, a BRS Sabiá se compara em produtividade à BRS Gralha Azul, carro-chefe da Embrapa no segmento trigo. A cultivar BRS Sabiá está recomendada para plantio no Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

O pesquisador da Embrapa afirma que a variedade pode ser plantada em qualquer época dentro do zoneamento, adaptando-se facilmente ao clima onde é semeada. "Mesmo em condições desfavoráveis a cultivar apresentou bom desenvolvimento", avalia Bassoi. Além disso, ele destaca que a BRS Sabiá se mostrou extremamente estável nos testes de campo.

A recomendação é a adição de adubação nitrogenada após a emergência das plantas. Bassoi completa que a precocidade dessa nova cultivar favorece principalmente os produtores do Sul e Sudoeste do Paraná porque plantam mais tarde. No Norte e Oeste, o plantio também pode ser realizado mais tarde devido a essa característica de precocidade.
 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink