Embrapa oferece curso de análise de dados espaciais em macroecologia

Agronegócio

Embrapa oferece curso de análise de dados espaciais em macroecologia

Objetivo é capacitar profissionais e estudantes no uso do programa SAM – Análise Espacial em Macroecologia
Por: -Renata
435 acessos
A macroecologia é um campo da ecologia que estuda as relações dos organismos com o ambiente em macro escalas espaciais para explicar e caracterizar padrões de abundância, diversidade e distribuição. A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 42 unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, está oferecendo o Curso de análise de dados espaciais em macroecologia, no período de 27 a 31 de julho de 2009, com o objetivo de capacitar profissionais e estudantes no uso do programa SAM – Análise Espacial em Macroecologia, desenvolvido como um pacote de ferramentas estatísticas para análise espacial com aplicações em macroecologia, biogeografia e ecologia geográfica.

Para isso, o conteúdo será centrado em análises exploratórias de dados, desde a introdução – análise espacial em ecologia e biologia evolutiva – até noções avançadas de modelagem espacial, incluindo correlação espacial e inferência estatística pelo professor Thiago Fernando L. V. B. Rangel, do Departamento de Biologia Geral, ICB-UFG, Brasil, e do Departamento de Ecologia e Biologia Evolutiva da Universidade de Connecticut, EUA.

Segundo o coordenador técnico do curso, o pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Marcelo Brilhante de Medeiros, essa é uma excelente oportunidade para os profissionais e estudantes de pós-graduação de áreas como a de ciências biológicas, entre outras no Brasil, já que oferece a possibilidade de treinamento em modernas ferramentas estatísticas para análise espacial de espécies vegetais e animais.
Segundo Marcelo, essas ferramentas podem colaborar significativamente para as pesquisas de conservação e uso sustentável de espécies vegetais e animais no Brasil, já que permitem entender melhor padrões de abundância de indivíduos, riqueza de espécies e os fatores ambientais que explicam as distribuições espaciais.
.
Análises espaciais podem ajudar a coletar e conservar recursos genéticos

“O programa SAM pode ser muito útil para otimizar ações de coleta e conservação de recursos genéticos no Brasil, por exemplo,” ressalta o pesquisador, por meio de ferramentas que expliquem os padrões de abundância de espécies e as relações com fatores ambientais em macro escalas. Assim, as ações de coleta de recursos genéticos em áreas sob impacto ambiental podem ser aprimoradas com esta nova ferramenta. Ainda, o entendimento de determinados padrões macroecológicos pode auxiliar na predição de impactos antrópicos, como o aquecimento global, sobre a distribuição geográfica e padrões de riqueza das espécies.

O Brasil é um país com enorme diversidade biológica e a rápida modificação de sua paisagem natural representa grandes desafios para os cientistas. “Por isso, conhecer padrões de abundância, diversidade e distribuição das espécies é importante para aprimorar as ações de coleta e na busca de amostras com maior variabilidade genética de espécies de importância para a alimentação, para uso medicinal, ornamental, entre outras”, explica Marcelo.

Programa vai ajudar especialmente na definição de prioridades para coleta e conservação em áreas sob impacto ambiental

Antes de iniciar o resgate das espécies em áreas sob impacto ambiental, a equipe de pesquisadores da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia realiza um trabalho de identificação e caracterização da vegetação e da flora das áreas impactadas. A partir desses levantamentos, são definidas as prioridades para o resgate de espécies, geralmente de acordo com os seguintes critérios: ameaçadas de extinção; raras; endêmicas (restritas a uma determinada região); de uso potencial para a indústria e agricultura, como por exemplo, espécies frutíferas, ornamentais e medicinais, entre outras; recursos genéticos restritos às formações vegetais mais ameaçadas, como por exemplo, os que ocorrem em matas secas, e aqueles com populações vegetais mais ameaçadas pelo enchimento dos reservatórios, ou seja, mais restritos às formações ribeirinhas, são também definidos como prioritários.

“Nessa fase de caracterização ecológica dos ecossistemas impactados, o uso das ferramentas como o programa SAM pode trazer novas e importantes informações para a coleta e conservação dos recursos genéticos”, finaliza.

O “Curso de análise de dados espaciais em macroecologia”acontece no período de de 27 a 31 de julho de 2009 na Embrapa Rceursos Genéticos e Biotecnologia em Brasília, DF. As inscrições estão abertas até o dia 19 de julho de 2009.

Mais informações podem ser obtidas com Joaquim Dias Nogueira pelo telefone: (61) 3448-4783 ou pelo e-mail: catcurso@cenargen.embrapa.br

A ficha de inscrição e o edital do Curso podem ser acessados na página da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, pelo endereço: http://www.cenargen.embrapa.br/cursos.html

As informações são de assessoria de imprensa.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink