Embrapa promove curso sobre manejo de abelhas sem ferrão com foco na polinização de espécies agrícolas

Abelhas

Embrapa promove curso sobre manejo de abelhas sem ferrão com foco na polinização de espécies agrícolas

Inscrições estão abertas em breve
Por:
88 acessos

Inscrições estão abertas em breve!

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em parceria com a APIDF (Associação Apícola do Distrito Federal, e apoio da Associação A.B.E.L.H.A, promove nos dias 25 e 26 de agosto de 2018 o “II Curso sobre biologia e manejo de meliponíneos para polinização de plantas de interesse agrícola”. Meliponíneos são abelhas sem ferrão de zonas tropicais e subtropicais com grande potencial para a polinização de plantas de interesse agrícola. A meliponicultura ainda é um mercado incipiente no Brasil, mas com ampla capacidade de crescimento, já que o mel oriundo dessas espécies atinge alto valor agregado e chega a custar mais que o dobro do mel tradicional de abelhas com ferrão.

Além do mel, a meliponicultura abrange também a produção e comercialização de colmeias, pólen, resinas, própolis e outros substratos. O curso terá duração de 16 horas e será realizado nas dependências da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Brasília, DF. Será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$120,00 para custear as despesas com refeições e materiais didáticos.

Aliada à importância econômica, ambiental e social, a meliponicultura prescinde de cuidados intensivos e investimento elevado para construção de meliponários. Sem falar que pode ser desenvolvida em áreas residenciais, já que as abelhas sem ferrão não apresentam riscos.

Segundo a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Carmen Pires, que é a coordenadora técnica do curso, incentivar a meliponicultura no País é também uma forma de contribuir para a preservação de espécies nativas de abelhas. Somente no Brasil há cerca de 250 espécies de abelhas indígenas sem ferrão já descritas, muitas delas com características específicas e propícias para o uso em polinização de plantas cultivadas.

O curso oferecido pela Embrapa tem como objetivo principal capacitar produtores, trabalhadores rurais, apicultores, meliponicultores, técnicos e estudantes das áreas de biologia, engenharia agronômica e florestal, zootecnia e veterinária na biologia e manejo de abelhas sem ferrão e também na sua importância para a polinização nos agroecossistemas.

Para isso, vai contar com aulas teóricas sobre: as abelhas sem ferrão, incluindo a diversidade e biologia; a importância de criá-las; as principais técnicas de manejo, instalação e povoamento de meliponários; a importância das abelhas na polinização de plantas cultivadas e em áreas naturais e o uso comercial de abelhas na polinização de culturas em campo e cultivo protegido.

As aulas práticas vão abordar a diversidade e biologia de abelhas; captura e transferência de enxames (equipamentos, utensílios e organização da atividade) e multiplicação de colônias. Serão apresentadas também palestras sobre a legislação brasileira relacionada à captura, transporte e comercialização de ninhos de meliponíneos. Haverá a exibição de filmetes, seguido por debates.

O curso terá como instrutores principais o professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Lúcio A. de Oliveira Campos, o pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Cristiano Menezes, e o meliponicultor da Associação Apícola do Distrito Federal (APIDF), Carlos Alberto Bastos.

Meliponicultura: ótima opção para mercado crescente de produtos naturais no Brasil

O segmento de produtos naturais tem crescido de forma significativa no Brasil - 20%, em média, contra 8% no resto do mundo. Prova disso é que o País já é o quinto maior mercado de alimentos e bebidas saudáveis, com volume de vendas superior a US$ 25 bilhões em 2015. “A meliponicultura se encaixa perfeitamente nesse nicho atual, já que é um sistema de produção que valoriza os ecossistemas nativos”, ressalta Carmen.      

O II Curso sobre biologia e manejo de meliponíneos para polinização de plantas de interesse agrícola acontece nos dias 25 e 26 de agosto de 2018 na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia em Brasília, DF.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink