Embrapa Rondônia avalia unidades demonstrativas do Programa Soja Livre
CI
Agronegócio

Embrapa Rondônia avalia unidades demonstrativas do Programa Soja Livre

Finalidade é analisar o comportamento e o desempenho das 23 cultivares de soja
Por:
Passados quase três meses após o início da semeadura das unidades demonstrativas (UD’s) do Programa Soja Livre, instaladas em cinco municípios de Rondônia, na safra 2011/2012, a Embrapa Rondônia realiza o “1º Tour Técnico” do Programa, no período de 18 a 20 de janeiro. A finalidade é analisar o comportamento e o desempenho das 23 cultivares de soja convencional que estão sendo testadas nas regiões Norte, Central e Sul do estado. Segundo o pesquisador Vicente Godinho, entre os pontos avaliados estão: resistência a doenças, porte das plantas e produtividade.

“O objetivo das visitas também é avaliar as unidades demonstrativas quanto às condições para a realização dos dias de campo, previstos para os meses de fevereiro e março, nos quais as cultivares deverão ser apresentadas aos produtores rurais”, acrescenta o pesquisador da Embrapa Soja (Londrina, PR) que atua no campo experimental da Embrapa Rondônia em Vilhena, Rodrigo Brogin.

Visitas

A primeira visita técnica, que também contou com a presença de técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) da capital e de Vilhena, foi realizada nessa quarta-feira, 18, no campo experimental da Embrapa em Porto Velho. No local, segundo o engenheiro agrônomo Frederico Botelho, as cultivares apresentam bom desempenho nas duas épocas cultivadas. “Isso mostra que a região tem boa perspectiva para a produção de soja e vários materiais estão se comportando de maneira significativa para o Programa Soja Livre”, afirma.

Ao ver a unidade demonstrativa, o produtor de arroz e soja, Laumir Balico, que cultiva uma área de 400 hectares em Porto Velho, vê o Programa Soja Livre de forma positiva para aumentar a produção, mas enfatiza a necessidade de políticas públicas para incentivar o desenvolvimento da agricultura em Rondônia. “Precisamos de tecnologia e financiamento”, declara.

Para Davi Maia, proprietário da fazenda onde está instalada a UD de Castanheiras, os resultados do Programa trarão benefícios especialmente aos produtores das regiões Norte e Central do estado que, ao contrário do Cone Sul, não são áreas tradicionais no cultivo do grão. “Vai possibilitar uma melhora geral no manejo, além de informar qual variedade se adapta melhor a cada região e quais apresentam maior produtividade”, conclui.

Ainda no dia 18, os pesquisadores e técnicos visitaram a unidade demonstrativa no campus do Instituto Federal de Rondônia (Ifro), em Ariquemes. Na quinta-feira, 19, a visita será realizada, pela manhã, na fazenda Maia, em Castanheiras, e à tarde, no campo experimental da Boa Safra, em Cerejeiras. As avaliações serão encerradas no dia 20, pela manhã, no campo experimental da Embrapa Rondônia em Vilhena.

Programa Soja Livre

O Programa Soja Livre visa oferecer aos produtores rurais de Rondônia mais opções de escolha de cultivares não geneticamente modificadas (Não-GM) para o cultivo nas próximas safras. A iniciativa de implantar o Programa Soja Livre no estado é resultado da parceria entre Embrapa, Associação Brasileira de Produtores de Grãos Não Geneticamente Modificados (Abrange) e Associação dos Produtores de Soja de Rondônia (Aprosoja/RO). A Boa Safra Produtos Agropecuários, o Grupo AMaggi, a Sementes Quati e o Instituto Federal de Rondônia também são parceiros da iniciativa.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.