Empaer faz plano de ação

Agronegócio

Empaer faz plano de ação

O objetivo é planejar as ações e tratar de assuntos técnicos, administrativos, financeiros, bem como a operacionalização dos escritórios da Baixada Cuiabana e demais municípios
Por:
1818 acessos
Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) trabalham no planejamento das atividades de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) com orientações para elaboração do Plano de Trabalho Anual 2011. O objetivo, de acordo com Almir de Souza Ferro, diretor de Ater na empresa, é planejar as ações e tratar de assuntos técnicos, administrativos, financeiros, bem como a operacionalização dos escritórios da Baixada Cuiabana e demais municípios a fim de melhorar e ampliar o atendimento ao produtor rural.


Os técnicos participaram de uma oficina no município de Poconé, onde foi apresentado um levantamento dos 133 escritórios da Empaer apontando a existência em Mato Grosso de 1.228 comunidades tradicionais, 418 assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra, 124 do Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat) e 176 assentamentos do Crédito Fundiário. Segundo Ferro, para organizar e planejar as ações, foram escolhidas vinte áreas temáticas, que serão monitoradas pela empresa. As principais cadeias produtivas apresentadas foram a fruticultura, pecuária de leite, olericultura, mandioca, piscicultura, seringueira, apicultura, suinocultura avicultura, pupunha, agroecologia, crédito fundiário, entre outras.


A oficina foi ministrada pelo coordenador de Ater, Sérgio Mazeto, coordenador regional, Vico Capistrano, coordenadora do Projeto de Ater/MDA, Denise Gutterres, o engenheiro agrônomo Benito França Lopes, engenheira agrônoma Ana Sales e a gerente de Controle Operacional, Cândida Andrade. Durante os dois dias da oficina, os técnicos receberam informações para elaboração de relatórios e projetos e também foram apresentado os resultados do trabalho realizado em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e outros.


Almir Ferro explica que entre os temas tratados está a renda familiar, sendo que para conseguir um aumento significativo é necessário conseguir melhores preços na comercialização e também agregar valor aos produtos primários, limpando, classificando e empacotando corretamente, e melhorando a qualidade dos produtos. Segundo ele, todos os agricultores podem tornar-se mais eficientes e com isso ter aumento de renda familiar. Daí a necessidade de serem atendidos por profissionais que os orientem corretamente neste sentido, como os do extensionismo rural.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink