Empresa entra no mercado internacional com cera da carnaúba

Agronegócio

Empresa entra no mercado internacional com cera da carnaúba

A cera extraída das folhas da carnaúba tem diversas funções em setores que vão da produção de alimentos à indústria de cosméticos
Por: -Renata
432 acessos

Caranúba do Brasil, empreendimento cearense, se especializou em produto que possui utilidades capazes de atender do setor de cosméticos à indústria de alimentos A cera extraída das folhas da carnaúba tem diversas funções em setores que vão da produção de alimentos à indústria de cosméticos. Criada em 2004, a empresa cearense Carnaúba do Brasil se especializou na produção da cera orgânica, que leva quase nenhum produto químico. A fábrica é destaque no Faça Diferente, série de programas de rádio do Sebrae sobre o tema inovação.

A Carnaúba do Brasil mantém um escritório em Fortaleza, mas sua indústria fica na cidade de Itarema, a cerca de 220 quilômetros da capital do Ceará. A empresa tem um quadro com 27 funcionários e vende 200 toneladas de cera por mês. “Noventa por cento do nosso produto são exportados, principalmente para países como Estados Unidos, Alemanha e Japão”, revela Marina Azevedo, gerente de exportação da Carnaúba do Brasil.

A cera da palmeira se destina a atividades tão diferentes quanto a produção de cremes de beleza e batons ou a cobertura de frutas. Sem prejuízo à saúde do consumidor, a cera reveste a fruta e permite sua maior durabilidade. A indústria farmacêutica também utiliza a substância para fabricar cápsulas que envolvem medicamentos.

Apoio

Marina Azevedo diz que a Carnaúba do Brasil não teve dificuldades para entrar no mercado internacional, pois sua diretoria já tinha experiência com exportação anterior à criação da empresa.

A gerente acredita que para se tornarem exportadoras as pequenas empresas precisam do apoio de entidades como o Sebrae e a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). A Carnaúba do Brasil é associada à Fiec, que, segundo Marina, tem dado importante suporte ao empreendimento. “Essas instituições podem mostrar ao empresário o mercado-alvo e orientar sobre a melhor maneira para agir”, explica.

Marina Azevedo destaca o papel de sustentabilidade que envolve a produção da cera da carnaúba. Ela diz que mesmo o produto não orgânico não costuma a conter muitas substâncias químicas.

A gerente ainda ressalta o caráter ecológico da produção. Extrai-se a cera em estado bruto das folhas da palmeira. “Não derrubamos as árvores, apenas retiramos as folhas sem que haja prejuízo para o desenvolvimento da planta”, conta.

Marina, que falou no programa do Sebrae sobre inovação a respeito de seu negócio, ao ser perguntada sobre o que significa inovar responde: “É trazer, por meio de pesquisa, tecnologia e ferramentas que agreguem mais valor ao produto”. As informações são da assessoria de imprensa do Sebrae.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink