Empresário quer construir indústria para processar algodão em Tocantins
CI
Agronegócio

Empresário quer construir indústria para processar algodão em Tocantins

TO está livre da zona de exclusão do plantio de algodão transgênico
Por:

Depois de o Tocantins ter sido retirado da zona de exclusão do plantio de algodão geneticamente modificado, empresários já voltam suas atenções para cultura na região. 

O empresário Mário Lélis, que possui propriedades de terra em Gurupi e Sucupira, pretende montar uma indústria para processar algodão transgênico no Estado.

“Parte dos equipamentos para a montagem da usina de processamento já estão aqui no Estado e tenho também todo o maquinário para a produção que exige muito menos mão de obra que o algodão convencional”, adiantou.

Lélis estima que a usina possa entrar em operação no próximo ano para processar mil hectares que ele e produtores vizinhos vão plantar a partir da segunda quinzena de dezembro deste ano.

O Governo do Tocantins também acredita que a liberação do transgênico, aliada ao clima adequado e à logística que o Estado oferece, pode cativar produtores de soja e milho a investirem no algodão.

Para safra 2013/14, o Estado projeta colher 30,7 mil toneladas de algodão em caroço contra os 18,9 mil/t produzidos na safra passada.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink