Empréstimos para a safra 2012/2013 crescem no MT
CI
Agronegócio

Empréstimos para a safra 2012/2013 crescem no MT

Nos meses de julho e agosto deste ano foi liberado R$ 1,628 bilhão
Por:
Produtores emprestam recursos para custeio, investimento e comercialização da safra; no caso da soja, o plantio teve início este mês
 
Recurso contratado pelos produtores rurais de Mato Grosso para a safra 2012/2013 nos meses de julho e agosto deste ano suplantam em 17,46% o emprestado em igual período do ano passado, totalizando R$ 1,628 bilhão, ante R$ 1,386 bilhão em 2011, conforme dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Para as operações de custeio foram emprestados R$ 908 milhões na abertura da atual safra, sendo 0,21% a menos que o registrado no último ano, quando correspondeu a R$ 910 milhões.

Para investimentos, os produtores demandaram R$ 468 milhões no início deste 2º semestre, sendo 27,86% a mais que no mesmo período do ano passado. Crédito para a comercialização da produção foi a operação que registrou maior crescimento, evoluindo 129% no 4º bimestre de 2012 sobre igual intervalo de 2011 e totalizando R$ 252 milhões este ano, contra R$ 110 milhões ano passado. Evolução na busca pelo crédito é influenciada pela antecipação na comercialização da safra de soja que começou a ser plantada na semana passada.

Neste ano devem ser colhidas 24,131 milhões de toneladas da oleaginosa, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Deste volume, 14,816 milhões (t) já estão negociadas, ou seja, 61,4% da safra. Venda está 13,4 pontos percentuais à frente do índice registrado para o mesmo período do ano passado, quando alcançava 48% em setembro, equivalente a 10,256 milhões (t).

Principal agente operador do recurso, o Banco do Brasil disponibiliza para a safra 2012/2013 o montante de R$ 3,386 bilhões, sendo 14,2% a mais que na safra 2011/2012, de R$ 2,965 bilhões. Previsão é aplicar na agricultura empresarial R$ 2,989 bilhões, sendo 14,1% a mais que na safra 2011/2012 (R$ 2,620 bilhões), conforme a superintendência regional do BB. Maior parte dos recursos serão disponibilizados para custeio (R$ 1,688 bilhão) e o restante divide-se entre comercialização (R$ 531,3 milhões) e investimento (R$ 769,6 milhões). Para a agricultura familiar serão disponibilizados R$ 396,8 milhões, aumento de 14,9% sobre a safra anterior (R$ 345,5 milhões). Montante está dividido em R$ 269,2 milhões para investimento e R$ 127,5 milhões para custeio.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Otoni Prado, o acesso aos recursos federais é importante para o setor produtivo, mas ainda está aquém da necessidade dos produtores. “A gente gostaria que houvesse mais recursos controlados pelo governo”. Pelos cálculos de Prado, para realizar a safra agrícola mato-grossense os produtores precisam de R$ 10 bilhões. Quanto aos valores emprestados até agora, ele diz que há uma tendência de alta para o custeio nos próximos meses.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink