Encontro apresenta o futuro dos pesticidas e dos defensivos biológicos

Agronegócio

Encontro apresenta o futuro dos pesticidas e dos defensivos biológicos

O 25º Congresso Brasileiro de Entomologia (CBE) continua amanhã, dia 18 de setembro, com a discussão e a apresentação de tecnologias voltadas ao controle de insetos vetores de doenças em áreas urbanas e daqueles que causam danos às lavouras.
Por:
3813 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.


O 25º Congresso Brasileiro de Entomologia (CBE) continuou hoje, dia 18 de setembro, com a discussão e a apresentação de tecnologias voltadas ao controle de insetos vetores de doenças em áreas urbanas e daqueles que causam danos às lavouras. Foram apresentadas iniciativas que envolvem o uso de inseticidas, de organismos geneticamente modificados e de agentes biológicos.

Houve uma mesa redonda, sob o tema “Entomologia urbana e saúde”, com a participação de professores de universidades federais, para mostrar ações promissoras de erradicação da dengue. O 25º CBE contou ainda com uma palestra acerca da utilização de baculovírus para o controle da lagarta helicoverpa, responsável por grandes perdas no campo. Adicionalmente, ocorreu a discussão com representantes de empresas multinacionais sobre o futuro dos pesticidas e dos defensivos biológicos. Mais informações: http://www.cbe2014.com.br/

No data de ontem (17), o professor Afonso Pelli, da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, realizou uma palestra sobre o tema entomologia médica. O assunto abrange o estudo de insetos que atacam direta ou indiretamente o homem e seus animais domésticos, transmitindo doenças. Moscas, mosquitos, vespas e formigas, dentre outros, são responsáveis pela disseminação de enfermidades como a Leishmaniose, causada por protozoário, a Filariose, originada por vermes nematoides, e a Miíase, produzida pela infestação da pele por larvas.

De acordo com Pelli, a busca por soluções a problemas de saúde pública em decorrência de doenças ligadas a insetos, demanda o aprofundamento do conhecimento científico sobre a grande diversidade e a interação de diferentes espécies. Além disso, o estudo do ambiente transformado pelo homem, de métodos alternativos de controle que não sejam somente a eliminação dos vetores, assim como de fatores sociais, tais como a própria educação da população, são aspectos que devem ser considerados em qualquer planejamento que almeje ser sustentável e exitoso no controle do surgimento ou ressurgimento de enfermidades na área da entomologia médica.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink