Encontro vai debater comercialização de café em Londrina (PR)

Agronegócio

Encontro vai debater comercialização de café em Londrina (PR)

Por:
2 acessos

A Prefeitura de Londrina, no Paraná, promove hoje (09-07) das 13h30 às 17h30, a 11ª edição do Encontro de Cafeicultores no distrito rural de São Luiz (32 km ao sul de Londrina) durante a Festa do Café e Frango. Especialistas de instituições ligadas à produção do grão vão orientar cafeicultores do município sobre as alternativas de comercialização.

Uma dessas opções, segundo Nilson Ladeia, secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, é a exportação do produto para organizações não-governamentais (ONGs), que gera mais lucro a quem produz. "É um trabalho que envolve economia solidária, com preços mais justos para quem compra e maiores para os cafeicultores (fair trade), que diminuem gastos porque dispensam a figura do intermediário".

O encontro deve reunir cerca de 150 cafeicultores dos distritos rurais de São Luiz, Guaravera, Espírito Santo, Warta e Lerroville. Eles vão receber orientações sobre a produção de café orgânico e a comercialização no mercado externo.

De acordo com Nilson Ladeia, o primeiro passo a ser dado pelos cafeicultores deve ser rumo à venda dos grãos para ONGs, principalmente para as instaladas em outros países. "O comércio é mais solidário, mais justo para quem compra e para quem vende", diz. Esse tipo de comercialização depende também da reunião dos agricultores em pequenas cooperativas ou associações a fim de que possam arcar com as despesas de exportação direta, dispensando a figura do intermediário, responsável pelas negociações. "Eles dividem os gastos com o processo de venda e lucram ainda mais com o negócio".

A área de café sem utilização de agrotóxicos nos distritos rurais de Londrina totaliza 5,5 mil hectares onde são colhidas mais de 3 mil toneladas por ano. Em São Luiz, os produtores estão organizados em duas associações, que investem, desde o ano passado, na transição da lavoura tradicional para o cultivo orgânico e na eliminação do emprego de agrotóxicos e adubos químicos.

Este ano, os produtores colhem a primeira safra de café 100% orgânico, em que foi usada apenas a adubação verde - método pelo qual espécies, como o feijão guandu, a mamona e o girassol, são plantados nas áreas em torno dos pés de café para o fornecimento de micronutrientes. A produção será, posteriormente, exportada à cidade de Saint Etienne, ao sul da França, com a qual as associações já firmaram acordo.

Durante o encontro de produtores de café na festa de São Luiz ainda será apresentado o concurso estadual Qualidade do Café-Paraná. Lançada há cerca de duas semanas pela Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento, a competição visa a analisar amostras de 1 kg de café beneficiado, representando lote de 30 sacas dos grãos, para que as melhores produções sejam escolhidas e premiadas.

Segundo o secretário municipal na etapa Londrina, técnicos da prefeitura, de duas cooperativas locais e da Emater vão selecionar os grãos melhor produzidos para que sejam encaminhados à segunda fase, que ocorre na capital.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink