Entidades do setor rural tomam medidas contra estiagem na região Sul
CI
Agronegócio

Entidades do setor rural tomam medidas contra estiagem na região Sul

Por: -Admin

A seca que atinge a região Sul do Brasil preocupa entidades representativas do agronegócio. Técnicos da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), que iniciaram nesta segunda-feira (12-04) a quarta estimativa da safra 2003/04, reconhecem que as perdas serão significativas, principalmente nas culturas de soja e do milho safrinha.

Para amenizar a situação, entidades rurais do Rio Grande do Sul se reuniram hoje na Federação da Agricultura do Estado (Farsul) para encaminhar ao governo federal um tratado a fim de agilizar recursos aos produtores atingidos pela seca e também para elevar a verba ao custeio da safra de inverno. Outra reivindicação diz respeito à prorrogação da última prestação dos agricultores para compensar os débitos em razão do custo elevado de produção. Os representantes também pleiteiam a urgência na liberação de capital de giro para as entidades com pendência de fornecimento de insumos, que abrange basicamente as cooperativas.

A área plantada para o milho safrinha no Paraná, que responde por 50% da safra nacional, foi reduzida novamente pela Secretaria da Agricultura do Estado em conseqüência da estiagem. O último levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral) estima uma área de 1,13 milhão de hectares, o que representa uma redução de 320 mil hectares em relação à estimativa inicial, de 1,45 milhão de hectares. Caso se confirme essa projeção, a área da segunda safra será 17% inferior à registrada em 2003. O plantio ainda não está concluído, restando 6% da área a ser semeada, o que representa 67,8 mil hectares.

Em algumas áreas do Rio Grande do Sul a perda na safrinha de milho chega a 100%. O diretor técnico da Emater/RS, Ricardo Schwarz, lembra que a chuva dos últimos dias não recuperou os danos causados pela estiagem. As lavouras plantadas mais cedo já estão 100% colhidas, com alguns rendimentos próximos a 6 mil quilos por hectare. Já as lavouras semeadas tardiamente estão com o potencial produtivo comprometido.

Para a soja, a quebra na colheita do Rio Grande do Sul ultrapassará os 30% projetados no último levantamento da Emater. A nova estimativa sairá até o final dessa semana. A produtividade das lavouras já colhidas varia de 800 quilos por hectare a 3 mil quilos por hectare. O prognóstico de continuidade da seca nos próximos 90 dias aumenta a preocupação, pois resta colher 30% da soja em fases consideradas críticas com relação à falta de chuvas. "A tendência é de que haja um pequeno agravamento que hoje ainda não há como dimensionar", explica Schwarz.

A estiagem no sul do continente sul-americano e o excesso de chuvas em algumas regiões produtoras de soja no Centro-Oeste do Brasil reduziram a estimativa de produção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Segundo o último relatório do órgão, divulgado na quinta-feira (08-04), o Brasil deverá colher 56 milhões de toneladas da oleaginosa, abaixo dos 59,5 milhões de toneladas do relatório anterior. Para a Argentina o USDA reduziu de 36,5 para 35 milhões de toneladas. A projeção para a safra americana 2003/04 foi mantida em 65,80 milhões de toneladas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink