Entrega de aves em Nova Mutum é suspensa
CI
Agronegócio

Entrega de aves em Nova Mutum é suspensa

Criadores de frangos cobram reajuste do preço pago pelo frigorífico da BR Foods
Por:
Criadores de frangos cobram reajuste do preço pago pelo frigorífico da BR Foods

Cerca de 440 mil aves deixarão de ser abatidas no frigorífico Brasil Foods (BRF) de Nova Mutum, com a suspensão do fornecimento de frangos pelos produtores cooperados da região. O volume equivale aos 2 dias de paralisação das entregas, iniciada nesta quinta-feira (16) por 98 avicultores, que possuem 135 núcleos com 4 aviários cada. Outros 29 avicultores não associados mantiveram o abastecimento de cerca de 60 mil aves/dia que deverá ser interrompido por uma hora, durante manifestação dos produtores programada para ocorrer na tarde de hoje (17) em frente à unidade. A Polícia Militar foi comunicada oficialmente e deverá acompanhar o protesto.

Os avicultores decidiram cortar temporariamente a entrega das aves ao frigorífico por causa da remuneração paga pela indústria para o custeio. Segundo o presidente da Associação dos Avicultores, Valdemir Grando, os produtores recebem atualmente R$ 14 mil de custeio por núcleo e a reivindicação é que seja repassado cerca de R$ 20 mil. Grando afirma que há mais de 3 anos não há correção nesse valor, enquanto que os gastos com material e equipamentos aumentaram aproximadamente 30% nesse período. “Com esse valor de repasse não estamos conseguindo manter a produção. Os associados têm R$ 150 milhões em garantias nos bancos. As propriedades estão hipotecadas e não temos resposta da empresa”.

Além do custeio, os produtores reivindicam o reajuste na remuneração do saldo líquido, que estaria há cerca de 6 anos sem correção. Conforme o presidente da associação, não houve acordo na tentativa de negociação do valor da planilha de custeio com a indústria. “Não tem como suportar mais. Não vamos entregar enquanto a empresa não se posicionar favorável à reivindicação”. Segundo Grando, após o envio de ofícios e notificações, e de uma reunião realizada em abril, os diretores da empresa chegaram a apresentar uma correção da planilha que propunha, no entanto, uma redução dos valores pagos atualmente.

Outro lado - Em nota, a BRF informou que “cumpre todas as obrigações assumidas com seus produtores integrados e sempre esteve à disposição para receber questionamentos e prestar esclarecimentos, seja diretamente aos produtores ou por meio das entidades representativas”. De acordo com a empresa, foi apresentada uma proposta de reajuste da remuneração e um plano de trabalho para solução das demais reivindicações, em reuniões realizadas desde o início de 2013, porém em nenhum momento os representantes da Associação de Produtores de Nova Mutum se mostraram favoráveis a um acordo.

Ainda conforme o documento, a companhia segue aberta a novas conversas e se posiciona contrária às manifestações ocorridas nesta quinta-feira (16), que impediram a retirada de aves prontas para abate e a entrega pela BRF de novos lotes aos produtores integrados. Estas ocorrências geram um grande comprometimento ao bem-estar das aves nas instalações, além de prejuízos para todos os envolvidos no processo produtivo.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.