Fertilizantes

Entregas de fertilizantes caíram 1,9% no primeiro bimestre de 2018, mas preços estão firmes

Entregas de adubos no Brasil totalizaram 2,12 milhões de toneladas em fevereiro, segundo a ANDA
Por:
80 acessos

As entregas de adubos no Brasil totalizaram 2,12 milhões de toneladas em fevereiro, segundo a Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA). O volume diminuiu 13,2% na comparação com janeiro deste ano, mas foi 3,7% maior frente a fevereiro do ano passado.

No acumulado do primeiro bimestre de 2018 foram entregues 4,56 milhões de toneladas de adubos ao consumidor final no país. Este volume é 1,9% menor que o entregue no mesmo período de 2017. A demanda neste momento é basicamente pelo setor de cana-de-açúcar e algumas compras pendentes para a segunda safra de grãos.

A expectativa é de baixa movimentação no mercado interno em curto prazo, com a procura aumentando a partir de maio. Com relação aos preços, destacamos a alta dos adubos fosfatados em fevereiro e março deste ano, com destaque para o MAP e o DAP, em função de uma oferta mais ajustada no mercado interno, além do cenário de preços mais firmes no mercado internacional.

Em São Paulo, segundo levantamento da Scot Consultoria, o MAP está cotado, em média, em R$1.821,00 por tonelada, sem o frete. Houve alta de 14,5% no acumulado de 2018. Em relação ao mesmo período de 2017, o insumo está custando 13,7% mais este ano. Na média, as cotações dos adubos fosfatados subiram 5,5% em março, na comparação mensal.

No caso dos fertilizantes nitrogenados e potássicos, os aumentos médios foram de 0,5% e 0,4%, respectivamente, neste mesmo período. Para 2018, a expectativa é de preços de adubos em patamares maiores que os verificados em 2016 (ano de queda nas cotações, atípico) e 2017, quando os preços no mercado interno andaram praticamente de lado.

Do lado da oferta mundial, o cenário está mais ajustado e os preços estão mais firmes no mercado internacional. Com relação à demanda, a expectativa para 2018 é de um volume entre 34 e 35 milhões de toneladas entregues ao consumidor final, frente ao recorde no ano passado, de 34,44 milhões de toneladas. Por fim, não estão descartadas altas de preços no mercado de fertilizantes em médio e longo prazos. Desta forma, é preciso analisar a possibilidade de antecipar as compras dos adubos que serão utilizados no segundo semestre.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink