Epamig apóia campanha de incentivo ao consumo de leite

Agronegócio

Epamig apóia campanha de incentivo ao consumo de leite

A campanha visa promover o consumo de produtos lácteos para beneficiar a saúde do povo americano, especialmente as crianças
Por:
193 acessos

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) formalizou, nessa quarta-feira (15), apoio à campanha “Sim ao Leite! 2009”, promovida pela Federação Panamericana do Leite (Fepale). A campanha visa promover o consumo de produtos lácteos para beneficiar a saúde do povo americano, especialmente as crianças. A adesão foi oficializada durante o 26º Congresso Nacional de Laticínios, em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Segundo o secretário geral da Fepale, Eduardo Fresco Leon, o apoio da Epamig e do Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT) vai fortalecer a campanha, pois a Empresa mineira tem reconhecimento nacional e internacional também nessa área. “As crianças e os adolescentes não consomem a quantidade necessária de leite e este é um problema que estamos atacando com a campanha que, neste ano, a partir desse apoio, estará muito mais fortalecida. Tudo que a Fepale está fazendo nesta campanha está baseado em informações científicas”, disse Leon.

O presidente da Epamig, Baldonedo Napoleão, destacou a importância do trabalho realizado pela Fepale. Disse também que o objetivo da campanha da Federação vai de encontro a várias iniciativas que a Epamig tem promovido, como o Café com Saúde, por exemplo, que é realizado na avenida José Cândido da Silveira, em frente à sede da Empresa, em Belo Horizonte. O evento visa difundir junto à população os benefícios do café para a saúde. “Com essa parceria vamos desenvolver atividades e publicações em conjunto que poderão esclarecer mais a população sobre a importância também do leite para a promoção da saúde”, anunciou Baldonedo.

A Fepale, composta por 17 países, dentre eles, Brasil e Estados Unidos, tem sede no Uruguai. Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas no site www.fepale.org.

Rodada de negócios

Pela primeira vez no Brasil, o Sebrae MG realizou uma Rodada de Negócios envolvendo empresas exclusivamente do setor lácteo. Participaram cerca de 40 laticínios, que ofertaram produtos, e 14 empresas âncoras, interessadas em comprar. São elas: 4º Grupo de Artilharia de Campanha, Supermercado Bahamas, Banco do Brasil, Laticínios Brasil Tropical, Supermercado Bretas, Buffet Célia Soutto Mayor, Callime Distribuidora de Óleos Vegetais, Carretão Gaúcho, Churrascaria Chimarron, Departamento de Estradas de Rodagem MG (DER-MG), Graal Sílvios, Perdigão, Restaurante Vaporetto e Secretaria Municipal de Agropecuária e Abastecimento de Juiz de Fora.

O relatório final sobre o volume de negócios realizado será divulgado, nesta quinta-feira (16), pelo Sebrae MG. A expectativa é grande, já que o evento aconteceu simultaneamente às palestras do Congresso Científico, Exposição de Produtos Lácteos (Expolac) e Exposição de Máquinas, Equipamentos, Embalagens e Insumos para a Indústria Laticinista (Expomaq). “A parceria com a Epamig foi importante para agregar maior valor à Rodada. O público de interesse está todo aqui e as indústrias reconhecem o evento como referência para o segmento”, ressalta Ricardo Boscaro Castro, coordenador da Cadeia do Leite do Sebrae MG.

Nutrição e Saúde

Segundo o coordenador da Comissão Científica, Adauto de Matos Lemos, o grande desafio para essa edição é que os congressistas saiam do evento com uma nova perspectiva de mercado interno de lácteos, com a aplicação no portfólio de produtos, atingindo o consumidor. “Esperamos que a indústria consiga captar, entre tantas informações, uma tecnologia aplicada ao mercado específico”, explica.

No painel temático, o engenheiro agrônomo do Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica da França, Jean-Louis Moubois, apresentou as propriedades nutricionais e nutracêuticas dos lácteos, isto é, soluções dos grandes problemas de saúde pública como osteoporose e alzheimer. “Minha missão aqui é criar acordos entre Minas Gerais e a Bretanha”, explica Moubois.

A agregação de valor dos alimentos funcionais e soluções por meio de benefícios fisiológicos foram temas apresentadas pelo engenheiro de alimentos Ary Bucione. Suco de laranja com fitosteróis (ajuda na saúde coronária), iogurte probiótico e margarina com fibras e cálcio (não estão mais no mercado) foram alguns exemplos citados de alimentos regulares adicionados de nutrientes. “Alimento funcional não é remédio. São alimentos para prevenção e minimização de riscos”, alerta.

Na palestra higienização de laticínios, o professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Nélio José de Andrade, apresentou pesquisa sobre as reações entre detergentes e resíduos, as condições de uso de detergentes e escolha do detergente para o processo de higienização em indústria laticinista. Para a engenheira de alimentos Camila Eleto, de Belo Horizonte, e que participa pela primeira vez do Congresso, o tema da palestra é muito importante para todos envolvidos na produção leiteira, principalmente, para os pequenos laticínios. “Eles precisam entender que a higienização agregará qualidade ao leite”, explica.

Segundo a tecnóloga em agronegócios, Maristela Nocolellis (São Paulo), que também participa pela primeira vez do Congresso, manter boa higienização nos laticínios é questão de bom senso. “O custo não é alto, é preciso mesmo bom senso na ordenha. Mantemos em nossa propriedade, a regularidade e empregados para controlar o processo”, conta.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink