Equipe interministerial terá 30 dias para analisar safra, plantio e organização da soja transgênica no país


Agronegócio

Equipe interministerial terá 30 dias para analisar safra, plantio e organização da soja transgênica no país

Por:
1 acessos

Um grupo de trabalho composto pelos ministérios do Meio Ambiente, Saúde, Desenvolvimento Agrário, Agricultura, Ciência e Tecnologia, Justiça e Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, será instalado hoje, em Brasília. A missão é apresentar sugestões ao governo federal e à Justiça para que possam tomar uma decisão à respeito do plantio e da comercialização de organismos geneticamente modificados no Brasil. A informação é dos ministros da Agricultura, Roberto Rodrigues, e do Meio Ambiente, Marina Silva, após reunião ontem na Casa Civil. 'O governo não é contra a produção de transgênicos. Não queremos fazer vistas grossas. Queremos apenas ter precauções, discutindo se o cultivo deste tipo de produto causa danos ao meio ambiente e à saúde. Isso é um dever nosso', disse a ministra.

O ministro da Casa Civil, José Dirceu, é quem vai coordenar a equipe. Também participaram do encontro o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, e o ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral. O ministro José Dirceu foi representado pelo secretario-executivo do ministério, Swedenberg Barbosa. O grupo interministerial fará inicialmente um relatório sobre quatro pontos: safra 2002/03, plantio no próximo ano-safra e a organização institucional do governo para o tratamento adequado aos transgênicos. 'Também discutirá a posição do governo frente à ação que corre na Justiça', afirmou Marina Silva, referindo-se ao processo que tramita no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Regiao, onde, na última sexta-feira, a Advogacia Geral da União (AGU) conseguiu o adiamento por 60 dias do julgamento. De acordo com a ministra, o grupo terá trinta dias para apresentar respostas e alternativas diante dessas questões. 'O grupo terá que instruir a tomada de decisões em relação ao recurso que tramita na Justiça', salientou.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink