Erechim sediará 7º Simpósio Sul de Pós-colheita de Grãos

Agronegócio

Erechim sediará 7º Simpósio Sul de Pós-colheita de Grãos

Erechim sediará o 7º Simpósio Sul de Pós-colheita de Grãos que acontece de 28 a 30 de junho, no Parque da Accie.
Por:
705 acessos

Erechim sediará o 7º Simpósio Sul de Pós-colheita de Grãos que acontece de 28 a 30 de junho, no Parque da Associação Comercial, Cultural e Industrial de Erechim (Accie). O simpósio terá como tema principal "Sustentabilidade: Armazenagem e Segurança Alimentar". O evento é promovido pela Associação Brasileira de Pós-Colheita de Grãos (Abrapos), com apoio da Emater/RS-Ascar, Prefeitura de Erechim e cooperativa Cotrel, com apoio de diversas empresas. A expectativa dos organizadores é de que o evento reúna cerca de 500 participantes do Rio Grande do Sul e Santa Catarina (estados que compõem a Abrapos Sul).

A programação técnica será dividida em painéis e palestras relacionados com o tema. Dentre os diversos assuntos que serão debatidos estão energias limpas na secagem dos grãos; redução de contaminantes produzidos na secagem; manejo integrado de pragas; requisitos de qualidade dos grãos para a indústria de rações e de moagem de trigo, todos de significativa importância para segurança alimentar de nossa população. 

O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar Carlos Angonese observa que a cidade de Erechim foi escolhida por se tratar da sede de uma das regiões do Estado onde a armazenagem de grãos é forte na propriedade rural, fruto do trabalho da Instituição e também pelo destacado trabalho que a cooperativa Cotrel tem na pós-colheita de grãos na região do Alto Uruguai.

A importância da pós-colheita de grãos

A produção de grãos tem grande importância na manutenção da vida, uma vez que é a grande fonte de alimentos do homem e dos criatórios que servem de alimento. Neste sentido, ressalta Angonese, a agricultura assume papel preponderante para a humanidade. "As praticas de pós-colheita quando bem entendidas e bem utilizadas garantirão a qualidade dos grãos ao longo do tempo. Caso contrário, os grãos podem perder peso, ser atacados por pragas e micro-organismos, ocasionando perdas de peso e contaminações por compostos tóxicos na secagem ou pelas micotoxinas".

Angonese observa que nos tempos atuais, em que a agricultura é uma atividade com alto nível de automação, os grãos são colhidos rapidamente e durante poucos dias e chegam úmidos às unidades armazenadoras, necessitando ser secados imediatamente. "A secagem visa reduzir os teores de umidade até valores que possibilitem a armazenagem segura", explica. 
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink