ES entra no cenário brasileiro como produtor de biodiesel

Agronegócio

ES entra no cenário brasileiro como produtor de biodiesel

A produção de energia limpa gera empregos e impulsiona o desenvolvimento local
Por:
221 acessos
As perspectivas de médio e longo prazos para a produção de pinhão-manso são bastante positivas para o Espírito Santo devido a instalação da indústria de extração do óleo do grão, em Colatina. A área de 100 mil metros quadrados já foi comprada próximo da estação Rodoferroviária do município de Baunilha.


A localização é estratégica porque possibilitará que a produção de óleo seja levada para o Porto de Vitória e, de lá, exportada para a Itália, para o grupo API, um dos maiores distribuidores de petróleo e energias renováveis da Itália.

De acordo com o diretor da Nòvabra Energia, Pedro Burnier, a empresa já está trabalhando com orçamentos para a aquisição de equipamentos e devem ser investidos entre R$ 30 e R$ 40 milhões para a sua construção, prevista para começar no próximo ano.

Na Itália, o óleo do pinhão-manso se transformará em energia limpa, utilizado como biodiesel pela API, que consome 200 mil toneladas/ano de óleo vegetal. "A produção daqui representa ¼ da necessidade do grupo e foi justamente por isso que a área em Colatina foi comprada. A produção é para consumo próprio da API e a safra que está plantada pelos produtores do Estado já está comprada o que representa um grande desenvolvimento e segurança para a agricultura familiar", destacou Pedro.


A produção de energia limpa gera empregos e impulsiona o desenvolvimento dos municípios onde o pinhão-manso é plantado. No primeiro semestre deste ano, o preço de aquisição do grão de pinhão-manso pela Nòvabra é de R$ 0,42 por quilo. Os produtores estão comemorando a valorização do grão, que teve um aumento de 40% em relação ao ano passado, quando apresentou o preço de R$ 0,30 o quilo.

Pinhão-manso: grãos que transformam a realidade local
A empresa pretende ampliar a área plantada com a cultura nos próximos quatro anos para 25 mil hectares. Além disso, quer distribuir ao longo dos quatro anos de programa aproximadamente 15 milhões de mudas e cerca de 4 toneladas de sementes de pinhão-manso para os beneficiários. Durante este período, capacitar cerca de 80 técnicos da rede de extensão rural pública e privada e 3 mil agricultores de base familiar.


A Nòvabra também prevê a instalação de dois campos de produção de sementes certificada com capacidade de produção de 5 toneladas e inserir o Espírito Santo como produtor de biodiesel, no cenário brasileiro nos próximos quatro anos.

A rota do pinhão-manso no Espírito Santo
A movimentação em torno do Pinhão Manso avança no Estado e 17 municípios da região noroeste já participam do programa: Água Doce do Norte, Barra de São Francisco, Itarana, Laranja da Terra, Nova Venécia, São Gabriel da Palha, Santa Teresa, Vila Pavão, Águia Branca, Baixo Guandu, Governador Lindenberg, Itaguaçu, Mantenópolis, Marilândia, Pancas, São Domingos e São Roque.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink