Escoamento pauta a reinstalação da Câmara do Trigo nesta quarta-feira
CI
Agronegócio

Escoamento pauta a reinstalação da Câmara do Trigo nesta quarta-feira

Frente ao cenário de alta produção, o Estado conta com um excedente de cerca de 1,8 mi de toneladas
Por:
Frente ao cenário de alta produção, o Estado conta com um excedente de cerca de 1,8 mi de toneladas
As discussões em torno do escoamento da produção gaúcha de trigo e da redução dos custos de produção para a cultura serão os pontos principais a serem debatidos nesta quarta-feira (18), em Passo Fundo, durante a reinstalação da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Trigo. O evento que contará com a participação do secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, está marcado para as 10h, no auditório da Embrapa Trigo.

O Coordenador Geral das Câmaras Setoriais e Temáticas da Seapa-RS, Dilson Bisognin, disse que o problema do escoamento da produção de trigo precisa ser resolvido com urgência, para que os produtores possam se capitalizar e assim buscar alternativas para mitigar os efeitos da estiagem. "O Estado tem estimativa de produção de uma das maiores safras de trigo da história, com 2,742 milhões de toneladas, com alta produtividade e alta qualidade, mas é preciso achar formas de comercialização por meio do Prêmio de Escoamento da Produção (PEP)", ponderou Bisognin.

Frente ao cenário de alta produção, o Estado conta com um excedente de cerca de 1,8 milhões de toneladas, que precisam ser escoadas, para evitar que o alto volume de trigo disponível pressione os preços para baixo. "É preciso garantir pelo menos os preços mínimos, cujo valor é de R$ 22,19 a saca de 60kg. Hoje estamos com valores R$ 5,00 abaixo do mínimo", afirmou o coordenador. Bisognin ressaltou, ainda, a necessidade de que o trigo seja escoado, para que as unidades de armazenamento sejam liberadas para receber a safra de verão.

Durante a reinstalação da Câmara serão criados grupos de trabalho voltados para a cadeia do trigo com foco na redução dos custos de produção para a cultura, com o objetivo de aumentar a competitividade do cereal no mercado. "Sofremos com uma forte concorrência por parte da Argentina e, além disso, precisamos criar condições para exportar trigo, especialmente agora que 60% do que se produz no Estado é trigo tipo pão, de ótima qualidade, e apenas 40% tipo brando", diz Bisognin.

Outro grupo de trabalho será instalado para debater a questão do escoamento. Dados da Conab apontam que a estimativa para a safra 2011/2012 de trigo é de que os gaúchos ultrapassaram os paranaenses em termos de produção, chegando a 2,742 milhões de toneladas,contra os 2,5 milhões de toneladas produzidos pelo Paraná. Em termos de produtividade, a tendência é de alcançarmos 2.940kg por hectare, com área plantada estimada em 932 mil hectares. Na safra 2010/2011, os gaúchos colheram 1,974 milhões de toneladas.

Bisognin disse que o Estado tem potencial para aumentar ainda mais a área plantada do trigo, trazendo, além dos benefícios econômicos, vantagens técnicas para as lavouras. "O plantio do trigo é importante para cobrir o solo, durante o inverno, para fazer a rotação de culturas e também otimizar o uso das máquinas agrícolas a campo."

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.