Estado firma convênio para ampliar produção pesqueira da Bahia
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)


Agronegócio

Estado firma convênio para ampliar produção pesqueira da Bahia

A assinatura do convênio garante o financiamento de R$ 5,35 milhões do Banco do Nordeste
Por:
603 acessos

Para ampliar a capacidade e a produção pesqueira da Bahia, foi assinado nessa terça-feira (28), em Itacaré, um convênio entre o Banco do Nordeste, a Bahia Pesca, da Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), o Ministério da Pesca e a Cooperativa Mista de Pesca de Itacaré (Coompi). A iniciativa integra o Programa Nacional de Financiamento da Ampliação e Modernização da Frota Pesqueira Nacional (Profrota Pesqueira), desenvolvido para estimular a atividade no país.

A assinatura do convênio garante o financiamento de R$ 5,35 milhões do Banco do Nordeste para a aquisição de duas embarcações, com 21 metros de comprimento e aparelhagem de última geração, que serão utilizadas na pesca em alto-mar.

Os barcos, construídos no estado de Alagoas, são do modelo espanhol Atuneiro. “Para nós, é uma grande alegria assinar esse contrato que permite o financiamento de duas embarcações da mais alta tecnologia, o que é muito importante para a pesca da região”, disse o superintendente do Banco do Nordeste na Bahia, Nilo Meira Filho.

Somente a Coompi possui 136 cooperados, entre biólogos, engenheiros de pesca, técnicos de mergulho e pescadores. Na semana passada, um convênio idêntico foi firmado com a Cooperativa de Pescadores de Camaçari.

Segundo o presidente da Coompi, Agnaldo Gren, serão realizadas ações integradas entre as cooperativas. “É um grande passo que está sendo dado. Essas embarcações (duas de Camaçari e duas de Itacaré) também vão ser utilizadas pelas duas cooperativas como barco-escola nesse litoral tão grande, onde a pesca oceânica pode e precisa ser mais explorada”.

Por meio de parceria entre a Coompi e a Bahia Pesca, os profissionais envolvidos no projeto serão capacitados. O convênio para o treinamento dos pescadores, de R$ 400 mil, já foi firmado.

O presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli, afirmou que o estado tem capacidade suficiente para ampliar a pesca oceânica e elevar a Bahia a um lugar de destaque no setor. “Com os pescadores artesanais preparados para desenvolver também a pesca oceânica, diminuiremos o déficit dessa modalidade pesqueira. Poderemos avançar muito e tornar o estado um dos maiores produtores de pescado do Brasil”.

O treinamento dos profissionais tem duração de 400 horas e vai capacitá-los na utilização de equipamentos de navegação, como GPS, ecossonda, rádio VHF e SSB, cartas náuticas, bússola e rádiogoniômetro.

Um acordo entre a Coompi e o Instituto Federal da Bahia (Ifba) vai preparar os pescadores para gerir seus negócios, além de inserir a cooperativa na incubadora da instituição de ensino por um período de cinco anos.

Aproveitamento da vocação local

Para a secretária-chefe da Casa Civil da Bahia, Eva Chiavon, é fundamental o aproveitamento da vocação local para a pesca, com o intuito de alavancar a atividade produtiva.

“Na nossa concepção, a questão da pesca é muito importante, se considerarmos que a matéria-prima se encontra aqui. Por isso estamos organizando a produção, melhorando a atividade pesqueira e qualificando através de cooperação”, explicou Eva Chiavon.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink