Agronegócio

Estiagem derruba produtividade no Paraná

A escassez de chuva no município de Iguaraçu (PR) vai atrasar o término do plantio
Por: -Redação
3 acessos

Leonel Chier, engenheiro agrônomo da Emater de Iguaraçu (PR), diz que a escassez de chuva no município vai atrasar o término do plantio. Segundo ele, a melhor época para o cultivo da região é de 28 de outubro a 10 de novembro. "Estamos em 13 de novembro e nem 20% das áreas foram semeadas", enfatiza.

Ele explica que as lavouras cultivadas depois do período recomendado correm risco de sofrer perdas com os veranicos de janeiro e fevereiro, épocas com mais de 20 dias sem chuva. Ele revela que coincide com a época de floração e formação das vagens da planta.

Segundo o agrônomo, há quase dois meses não chove forte na região. A média anual de pluviosidade no município é de 1,3 mil milímetros ano. "Alguns produtores de nossa cidade plantaram no pó, não choveu e eles somam prejuízo", diz Chier.

O agrônomo destaca que a produção média de soja na região é de 3.100 quilos por hectare. "Na última safra registramos uma produção de 1.600 quilos por hectare. Os produtores que tiverem que replantar as lavouras, conseguem somente empatar o investimento, isso se a safra for boa", afirma.

Geraldo Marcolino, já produtor, registrou o prejuízo de R$ 15 mil com a seca. O agricultor plantou 29 hectares de pasto e quatro hectares de milho. O sitio estava arrendado para soja, como nos últimos anos ele não recebeu sua parte da produção resolveu assumir o negócio.

Marcolino vai diversificar a propriedade para tentar reverter o quadro negativo que enfrenta em safras sucessivas. "Vou plantar maracujá e talvez figo. Ainda estou avaliando o mercado. Também vou instalar uma irrigação. Assim não terei mais problemas com a seca", afirma o agricultor.

O produtor acredita que as mudanças do clima sejam causadas pela interferência do homem na natureza. "Dólar baixo, produção excelente no exterior, tudo isso pode ser remediado. O que está matando o agricultor é o clima, não estamos conseguindo produzir", explica Marcolino.

Soja

Segundo Joaquim Girardi, engenheiro Agrônomo da Emater, a falta de chuva na fase inicial da soja, se for moderada, não apresenta prejuízos para a planta. Ele ressalta que num período superior a 20 dias os estragos podem ser grandes, a planta pode morrer.

Os prejuízos de produção só podem ser contabilizados depois da planta formada. Ele revela que a região de Maringá não está sofrendo com a estiagem. Aponta Iguaraçu, Santa Fé , Astorga e Ângulo como cidades mais afetadas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink