Agronegócio

Estoques serão menores, aponta Imea

Estimativas atualizadas pelo Órgão nesta semana revelam que saldo final das commodities deverá ser o menor em 4 safras. Pressão segue
Por:
528 acessos

O impacto das adversidades climáticas não influencia apenas no volume final da produção, no ganho médio de produtividade por hectare e na renda do produtor. Tudo isso vai refletir no estoque final da cultura que abastece o mercado durante o chamado período de entressafra e para atravessar esse intervalo, Mato Grosso vai contar com o menor estoque de passagem de soja dos últimos quatros anos, 190 mil toneladas, volume que veio sendo reduzido anualmente desde a safra 2012/13, e com 70 mil toneladas de milho, pouca coisa superior as 60 mil toneladas da safra anterior, mas bem distante do saldo de 370 mil toneladas do ciclo 2013/14. Com isso, o que se vislumbra é um mercado aquecido, com as cotações mantidas em valores elevados. 

Como explicam os analistas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), nessa segunda estimativa de oferta e demanda da soja em grão há ajustes apenas na demanda da safra 2015/16. A produção abaixo do esperado na safra, de 27,50 milhões de toneladas, em reflexo às intempéries climáticas já havia sido quantificada na divulgação anterior do Relatório de Oferta e Demanda. Apesar disso, o reflexo da menor oferta sobre a demanda só pôde ser mais palpável nesta nova divulgação. A expectativa de exportação e de consumo em Mato Grosso (esmagamento) teve seus dados reduzidos para 14,77 milhões de toneladas e 8,69 milhões de toneladas, respectivamente. 

Apesar disso, o consumo interestadual foi elevado para 4,15 milhões de toneladas, refletindo a grande demanda dos outros estados. “Mesmo com tais ajustes, o balanço entre a oferta e demanda da safra 2015/16 apontou para uma leve redução dos estoques finais para 190 mil toneladas, que é cerca de 3,5% menor que a safra passada”. 

A nova estimativa aponta para uma demanda de 27,61 milhões de toneladas contra a expectativa de 27,66 milhões de toneladas no relatório anterior, com a principal alteração negativa ocorrendo na expectativa de exportações para 2016. 
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink