Estudo avalia efeitos de agrotóxicos em trabalhadores
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,090 (1,09%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)

Imagem: Divulgação

DANOS

Estudo avalia efeitos de agrotóxicos em trabalhadores

Indivíduos expostos aos agrotóxicos apresentam maior número de danos oxidativos
Por: -Eliza Maliszewski
380 acessos

Os efeitos do contato direto com os agrotóxicos e os danos oxidativos provocados no organismo de trabalhadores rurais. O estudo é da estudante Bruna Cussioli, do curso de Biomedicina da Universidade do Vale do Taquari (Univates), de Lajeado (RS). 

O estudo analisou 55 pessoas sendo 28 que usam defensivos agrícolas e 27 que não têm contato no município de Anta Gorda (RS), local que tem agricultura como base. Foram coletadas amostras de sangue dos participantes, a fim de analisar os valores de nitritos e lipoperoxidação no organismo. Além disso, ela ainda desenvolveu um questionário para verificar hábitos de vida e as práticas na agricultura.

Os resultados mostraram que indivíduos expostos aos agrotóxicos apresentam maior número de danos oxidativos em comparação ao grupo não exposto. Outro ponto analisado refere-se ao consumo de frutas cítricas (que são consideradas antioxidantes). Foi observado que o consumo de frutas cítricas pode prevenir os danos oxidativos provocados pelas espécies reativas de oxigênio, minimizando os riscos de complicações à saúde.

Outra análise feita pela estudante refere-se ao uso correto de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que diminui consideravelmente o dano lipídico. Nas dosagens de nitritos, valores maiores foram encontrados quando o trabalhador eventualmente utiliza os equipamentos de proteção. “Eu avalio os resultados encontrados como satisfatórios, pois de acordo com a pesquisa ficou evidente a importância de usar corretamente os EPIs durante as práticas agrícolas, respeitando sempre as orientações do fabricante. A partir das informações e resultados obtidos, podemos contribuir com orientações de cuidado e proteção aos produtores rurais”, explica Bruna. 

De acordo com a professora orientadora, estudos como este reforçam a necessidade da utilização de equipamentos de proteção ao manusear os agrotóxicos. “O estudo foi muito relevante, ressaltando a importância do uso de EPIs corretamente e do consumo diário de frutas cítricas ricas em antioxidantes”, destaca Andrea Horst, orientadora da pesquisa.
 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink