Estudo detalha a apicultura do Pantanal

Agronegócio

Estudo detalha a apicultura do Pantanal

Uma cartilha será distribuída gratuitamente aos apicultores sul-matogrossenses
Por:
43 acessos

Uma cartilha que será distribuída gratuitamente aos apicultores sul-matogrossenses vai apresentar o resultado de um levantamento realizado por meio do Arranjo Produtivo Local da Apicultura do Pantanal com o objetivo de diagnosticar a realidade da apicultura na região pantaneira. A iniciativa é da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer).

De acordo com o gestor de desenvolvimento rural da Agraer, Ricardo Dias Peruca, o trabalho consistiu na aplicação de um questionário com 65 questões a 141 apicultores dos 13 municípios de abrangência do APL. Conforme ele explicou, por meio desse diagnóstico está sendo possivel visualizar a campo a real situação do apicultor do Pantanal de MS, compreendendo as suas especificidades e demandas sócio-territoriais, bem como pontos de ação necessários para a modernização da produção na região com informações do manejo, aspectos sócio econômicos do apicultor e georreferenciamento dos apiários.

"Este trabalho é um mapeamento estatístico do que é produzido, por quem é produzido e onde é produzido, imprescindível para iniciar uma coleta de dados mais precisa da realidade da apicultura pantaneira no Estado", acrescenta Peruca.

A área abrangida pelo levantamento corresponde a aproximadamente 17% do total de 78 municípios de Mato Grosso do Sul". De acordo com o gestor, a expectativa é de que o levantamento total da apicultura no Estado seja feito pela Agraer até o final de 2011.

As informações foram coletadas nos municípios de Anastácio, Aquidauana, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá, Jardim, Nioaque, Guia Lopes da Laguna, Miranda e Ladário. Nos 13 municípios foram diagnosticados 385 apiários totalizando 7.499 colmeias. A maioria dos apicultores entrevistados já participou de algum curso ou treinamento em apicultura, com um índice de 86% de capacitados. O levantamento mostrou ainda que a apicultura representa a segunda renda de 95% dos entrevistados e que a captura de enxames ainda é o processo mais utilizado para implantação, expansão e manutenção dos apiários, sendo utilizado por 80,85% dos entrevistados. Em relação à mão de obra utilizada na atividade o diagnóstico mostrou que 49% das ações são realizadas por meio de uma ajuda mútua entre os apicultores; 28% com ajuda de familiares e 23% com ajuda de vizinhos.

Durante a realização dos diagnósticos a campo evidenciou-se que a apicultura na região do Pantanal sul-mato-grossense ainda carece de infra-estrutura e logística adequadas para implantar processos de aumento de produção e melhoria na qualidade dos produtos apícolas. Verificou-se ainda que a falta de estrutura de extração e beneficiamento do mel é um dos pontos limitantes para a atividade na região.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink