Estudo diz que metade dos pecuaristas vão deixar atividade
CI
Imagem: Marcel Oliveira
PRÓXIMOS ANOS

Estudo diz que metade dos pecuaristas vão deixar atividade

Pecuaristas não conseguirão acompanhar tecnologia, gestão e sustentabilidade
Por: -Eliza Maliszewski

Um estudo divulgado pela Embrapa aponta as tendências para a cadeia de carne bovina no país. A previsão é otimista. Nos próximos anos o mercado da proteína deve seguir aquecido e com demanda crescente de países asiáticos como a China. 

A busca por cortes diferenciados e inovação digital devem abrir novas oportunidades, com valor agregado. Diante disso também deve crescer a exigência do consumidor em questões como rastreabilidade, sustentabilidade e bem-estar animal, o que deve forçar a cadeia a produzir melhor e com mais qualidade.   A biotecnologia moderna aumentará a eficiência produtiva, com ganhos para os produtores e consumidores finais. 

Os pesquisadores também apontam que as tendências para a cadeia de carne bovina do país vão exigir melhor gestão do negócio, digitalização e intensificação produtiva por parte dos pecuaristas para que seja alcançado o potencial de incremento de 23% da produção nos próximos oito anos, o que também fará com que quase metade dos 1,3 milhão de pecuaristas não consigam se adaptar.  “Vamos ter menos produtores, que serão mais tecnificados e terão maior volume de produção. Quem for pequeno ou se organiza em cooperativas, em associações, em rede, ou não sobreviverá”, afirma o pesquisador e doutor em Economia Elísio Contini. “Até 2040, cerca de 50% dos produtores devem sair do mercado”, afirma o coordenador do Centro de Inteligência da Carne Bovina da Embrapa Gado de Corte (Cicarne), Guilherme Malafaia.

A pecuária brasileira produzirá mais carne em menos área, liberando terras para a agricultura e silvicultura. O setor ocupará espaço no cenário internacional, exportando desde genética a produtos altamente especializados e de elevado valor agregado. “O Brasil terá uma pecuária altamente tecnificada, profissional, competitiva e uma referência global, não só pelo gigantismo, mas também por sua tecnologia, qualidade, segurança e sustentabilidade”, afirmam os autores.

As projeções para a pecuária brasileira mostram que o setor deve apresentar um significativo crescimento nos próximos anos e a expectativa é que a produção de carne bovina no Brasil continue a crescer na próxima década. Segundo projeções do Mapa, no período 2018 a 2028 a produção de carne bovina do Brasil deverá crescer 2,1% ao ano. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink