Estudo mexicano confirma alta eficácia do café transgênico
CI
Imagem: Pixabay
MUNDO

Estudo mexicano confirma alta eficácia do café transgênico

O estudo é uma continuação de um protocolo desenvolvido anteriormente para transformação genética estável e regeneração bem-sucedida de plantas
Por: -Leonardo Gottems

Pesquisadores do setor público mexicano, CINVESTAV e da Universidad Veracruzana, desenvolveram cafeeiros transgênicos que expressam a proteína Bt, usada por mais de meio século na agricultura orgânica para o controle de pragas. Os testes mostraram que o dano ao grão foi registrado em menos de 9% das linhagens transgênicas contra 100% nos frutos do grupo controle (café não modificado) contra a broca do café. 

O café é o segundo produto agrícola internacional mais valioso depois do petróleo, e a praga da BC é um dos principais fatores que ameaçam seu comércio mundial. Agora, pela primeira vez, os cientistas relataram a transformação estável e a expressão da proteína Bt (Cry10Aa) em plantas de café arábica com potencial para controlar o CBB. 

O estudo é uma continuação de um protocolo desenvolvido anteriormente para transformação genética estável e regeneração bem-sucedida de plantas de café arábica que expressam a toxina Bt (Cry10Aa) para induzir resistência ao CBB. Através do protocolo, uma linha de embriogênese altamente somática (SE) foi produzida com uma alta taxa de divisão celular e conversão em plantas com um período de regeneração de plantas de 8 meses. A linha foi então submetida à análise de expressão do gene regulador mestre SE e a progressão do ciclo celular também foi analisada durante a indução e propagação de linhas embriogênicas não competentes e altamente competentes. 

Após três meses de seleção e um mês de regeneração da planta, linhagens genéticas estáveis foram produzidas pela técnica de bombardeio de partículas. Os cafeeiros transgênicos deram frutos após dois anos e foi confirmado que esses frutos expressavam a toxina Bt. A confirmação adicional dos efeitos dos frutos do café transgênico contra as larvas e adultos do primeiro estágio do BC foi feita por bioensaios. mortalidade induzida entre 85% e 100% após 10 dias. O dano à semente foi registrado em menos de 9% nas linhagens transgênicas contra 100% nos frutos do grupo controle (café não modificado). 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.