Estudo mostra queda no uso de defensivo em culturas transgênicas
CI
Agronegócio

Estudo mostra queda no uso de defensivo em culturas transgênicas

O professor da Unicamp, Edgard Pereira, falou sobre os benefícios econômicos no uso de organismos geneticamente modificados na agricultura
Por: -Giuliano

A Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados (CAPDR) promoveu, nessa terça-feira (13-03), uma audiência pública com o objetivo de mostrar o estudo do professor da Unicamp, Edgard Pereira, sobre os benefícios econômicos no uso de organismos geneticamente modificados na agricultura, principalmente a soja, cultura GM mais adotada no mundo.

O estudo do professor mostra que sementes com genes de tolerância a herbicida, resistência a insetos e tratamentos combinados proporcionam ganhos econômicos e ambientais bastante significativos para a agricultura mundial. "Os benefícios econômicos são a redução dos custos de produção e o aumento da produtividade quando comparada às culturas convencionais. E o principal benefício ambiental é a redução da necessidade de aplicação de produtos agroquímicos nas lavouras que comprovadamente prejudicam os lençóis freáticos e a camada de ozônio", explicou Pereira.

Segundo o estudo, houve um crescimento, em dez anos, de 60 vezes no total da área plantada global com culturas GM, com a adoção por 22 países, correspondendo a 40% do total. "As plantas geneticamente modificadas são tolerantes, não é necessário o uso de diversos herbicidas, o que requer o uso intensivo de máquinas, combustíveis e mão-de-obra e eleva muito os custos de produção. As plantas tolerantes utilizam um mecanismo de controle mais simples e barato, portanto, mais eficiente", disse o professor.

O presidente da Comissão de Agricultura, deputado Marcos Montes (PFL/MG), lembrou aos colegas que as discussões a respeito do uso de Organismos Geneticamente Modificados são válidas, mas a aplicação prática no campo é essencial para reduzir os custos de produção do setor agrícola. "Nosso custo de produção é alto. Não podemos perder de vista que cada real investido em tecnologia retorna ao Brasil na forma de benefícios diretos ao consumidor, não só ao produtor. Precisamos colocar em prática o que a tecnologia tem a nos oferecer", resumiu.

A audiência pública foi requerida pelo Deputado federal Abelardo Lupion (PFL/PR). Segundo o parlamentar, historicamente, o Brasil tem perdido duas vezes com o uso de agroquímicos. "Se por um lado, perdemos grandes recursos financeiros com a importação maciça de agroquímicos, por outro, os prejuízos ao meio ambiente é, sem dúvida, outra perda significativa. Precisamos discutir o uso de organismos geneticamente modificados sem ideologias ou preconceitos para que o país pare de perder recursos financeiros e ambientais!".

Lupion também declarou que as perdas nas lavouras de milho, por exemplo, são altas em decorrência de inúmeras pestes que atacam a cultura. "Nós, produtores de milhos, ficamos à mercê das pestes nas lavouras. Estaremos abertos àquilo que pode minimizar os problemas de plantio", destacou. As informações são da assessoria de imprensa da Comissão da Agricultura da Câmara dos Deputados.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink