EUA podem colher safra recorde de milho no ano


Agronegócio

EUA podem colher safra recorde de milho no ano

Por:
1 acessos

Os produtores agrícolas norte-americanos poderão ter uma colheita recorde de milho este ano, e a segunda maior de soja, devido a um aumento nos subsídios e melhor clima, disse Keith Collins, principal economista do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Também deverá ocorrer aumento da produção de trigo nos EUA, Austrália e Canadá, os maiores exportadores, o que acirrará a concorrência por compradores.

A produção irá avançar justamente quando os preços do milho registraram alta de 14% no ano passado, os da soja, 27%, e os do trigo 19%, devido aos danos causados pela seca na lavoura em todo mundo. A volta ao clima normal e o aumento dos fornecimentos não significam grande expansão para a agricultura norte-americana, disse Collins.

Os produtores expandirão o volume de área de milho e reduzirão o plantio de soja, em parte devido aos subsídios favoráveis na forma de garantias de preço conhecidas como programa de preços mínimos.

A produção de milho irá avançar para 10,27 bilhões de bushels (260,9 milhões de toneladas), em comparação com uma colheita afetada pela seca, de 9,008 bilhões de bushels (228,8 milhões de toneladas), no ano passado. Com clima normal, a colheita excederá o recorde de 10,05 bilhões de bushels (255,3 milhões de toneladas) em 1994.

Embora os agricultores pretendam plantar 2% a menos de soja, ou 29,3 milhões de hectares, a produção aumentará 3%, para 2,82 bilhões de bushels (76,7 milhões de toneladas), devido ao bom clima.

A nova lei agrícola assinada em 2002 pelo presidente Bush aumentou o preço mínimo garantido do governo sobre o milho em US$ 0,10, para US$ 1,98 o bushel. O preço garantido da soja recuou US$ 0,26, para US$ 5 o bushel.

Segundo Mark Weidner, analista da Cargill Investor Services, em Chicago, referindo-se ao preço mais alto do governo para o milho, "é um impulso dado à commodity." O milho e a soja constituem as duas principais lavouras dos EUA, avaliadas, no ano passado, em US$ 21,2 bilhões, e US$14,75 bilhões, respectivamente, segundo o governo.

O plantio total de trigo nos EUA poderá aumentar em 1,01 milhão de hectares, em relação aos 24,4 milhões de hectares do ano passado, devido aos "altos preços do trigo no período de setembro-novembro", que encorajaram aumento de 6% no plantio da commodity de inverno, disse Collins. O trigo de inverno responde por cerca de dois terços de toda a produção desse grão.

Isso poderá resultar em uma colheita de trigo de 2,07 bilhões de bushels (56,3 milhões de toneladas), 28% acima do 1,61 bilhão de bushels (43,8 milhão de toneladas) em 2002, informou o USDA.

A colheita de trigo no país foi a quarta mais valiosa em 2002, de US$ 5,9 bilhões, depois da forrageira, no valor de US$ 12,4 bilhões.

A colheita de algodão dos Estados Unidos irá avançar 202,3 mil hectares, em comparação aos 5,65 milhões de hectares no ano passado, principalmente porque "as perspectivas de exportação parecem muito boas e os preços estão subindo", disse Collins.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink