Europeus afirmam que Soja Plus é modelo de produção sustentável que querem

Agronegócio

Europeus afirmam que Soja Plus é modelo de produção sustentável que querem

O programa Soja Plus é considerado pelo mercado europeu o modelo que se insere em seu objetivo de uma produção sustentável.
Por:
594 acessos

Nascido em Mato Grosso, o programa Soja Plus é considerado pelo mercado europeu o modelo que se insere em seu objetivo de levar uma produção sustentável aos consumidores da Europa. O Soja Plus é oferecido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e conta com a participação de 978 associados no Estado. Porém, são mais de cinco mil produtores potenciais que podem participar do programa.

Na última semana representantes da Federação Europeia dos Fabricantes de Rações (Fefac) e da IDH (Iniciativa para Comércio Sustentável) participaram em Mato Grosso do workshop Soja Sustentável. O workshop foi realizado pela Aprosoja-MT após a entidade ter sido procurada pela Fefac após tomar conhecimento do programa e se interessar pelo modelo aplicado no Estado.

O secretário-geral da Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais (IACA) e representante da Fefac, Jaime Pirraça, destacou durante o encontro que o Soja Plus é um modelo que precisa ser divulgado "para que o mundo saiba que o Brasil está fazendo diferente em termos de sustentabilidade". Ele ainda ressaltou que "o modelo da Aprosoja se insere perfeitamente no nosso objetivo de levar uma produção sustentável aos consumidores europeus".

Pirraça destacou também que a União Europeia discute o tema da sustentabilidade e que está preocupada com assuntos relacionados a isso, como é o caso da gestão de recursos e desperdício alimentar.

A Europa é grande exportador de produtos agroalimentares e importadora de soja, commoditie utilizada para a agroindustrialização animal. 

Em 2016, dos US$ 8,214 bilhões exportados por Mato Grosso, até junho, o montante comercializado para a União Europeia somou US$ 1,507 bilhão, o equivalente a 18,36% do total. A Ásia (exclusive o Oriente Médio) correspondeu a R$ 5,144 bilhões.

“Cada vez mais há programas de verificação de soja em nível mundial, feitos por empresas e organizações. Por isso, a Fefac organizou um guia que tenta harmonizar todos eles para que haja uma linha de comunicação única. Viemos aqui mostrar como funciona esse guia e ver se os produtores se encaixam nas orientações”, pontuou Pirraça.

Hoje, países como Holanda e Bélgica utilizam o guia para a compra de soja, bem como o Reino Unido usa a publicação como orientador de mercado. Já a França, Alemanha e a Dinamarca estão em fase inicial.

A parceria entre a Aprosoja-MT, Fefac e IDH vem sendo construída há três anos, de acordo com o coordenador da comissão de Gestão da Produção e Propriedades da Aprosoja, da qual o Soja Plus faz parte, Nelson Piccoli. A parceria, pontua Piccoli, garantirá para a Europa de que a soja mato-grossense produzida pelos participantes do programa é altamente sustentável.

O programa

Em Mato Grosso, o programa foi implantado em 2011, através de uma parceria entre a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Gross (Aprosoja-MT) e a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). Hoje, o programa está presente também no Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia. Conforme os idealizadores, o Soja Plus é um programa voluntário, adequado para a realidade nacional econômica, social e ambiental, levando aos produtores as normas e exigências da legislação brasileira.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink