Evento busca valorizar agrobiodiversidade regional e seus guardiões

EVENTO

Evento busca valorizar agrobiodiversidade regional e seus guardiões

Ao todo, estão previstos cinco painéis temáticos
Por:
79 acessos

De 26 a 28 de novembro, Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS) e entidades parceiras promovem o evento Guardiões da Sociobiodiversidade: Sementes Crioulas, Frutas Nativas e Agroflorestas. A atividade engloba cinco eventos simultâneos e uma serie de atividades a serem realizadas no auditório da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel da Universidade Federal de Pelotas (Faem/UFPel), no município do Capão do Leão/RS. Inscrições podem ser feitas no local. 

Confira a programação aqui: https://www.embrapa.br/clima-temperado/cursos-e-eventos/-/evento/410702/vii-seminario-agrobiodiversidade-e-seguranca-alimentar

O objetivo dessas iniciativas conjuntas é promover o diálogo e a união do trabalho de diversas instituições em favor da sociobiodiversidade – ou seja, das comunidades, do ambiente, dos sistemas de produção e dos modos de vida – com foco na diversidade social e cultural e no desenvolvimento sustentável. Por isso, o evento ainda entregará certificado de reconhecimento aos representantes de diferentes comunidades e organizações sociais que prestam contribuições à conservação e ao uso sustentável da sociobiodiversidade – os chamados guardiões da sociobiodiversidade. 

A estratégia de unir esses eventos visa aproximar e fortalecer a cooperação entre as instituições proponentes e o público participante. Em relação às pessoas, a proposta é promover o intercâmbio de experiências e saberes. Os cinco eventos simultâneos são o 7º Seminário Agrobiodiversidade e Segurança Alimentar, a 2ª Feira de Sementes Crioulas na Alimentação, o 4º Seminário de Frutas Nativas do RS, o 3º Seminário das Agroflorestas do RS e o 4º Encontro Região Sul de Etnobiologia e Etnoecologia. 

Programação

Ao todo, estão previstos cinco painéis temáticos. Durante os três dias de evento, serão abordados temas como, resiliência econômica e ambiental; sementes crioulas, frutas nativas, sistemas agroflorestais e suas relações com saúde; viveirismo como base para restauração ecológica; governança territorial; e o papel das agroflorestas para segurança hídrica, energética e alimentar nos biomas Pampa e Mata Atlântica. Também haverá uma série de oficinas e apresentação de trabalhos acadêmicos sobre esses assuntos.

Além disso, fará parte da programação o Fórum Sociobiodiversidade, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, que ocorre no dia 26, a partir das 16h30min. A iniciativa busca dar voz à diversidade de atores e organizações sociais ligadas à agricultura e ao rural no Rio Grande do Sul. E destaca estratégias de apropriação social da natureza, modos de vida e desafios para o desenvolvimento sustentável.

No dia 16, a partir das 18h, também haverá lançamento da Feira de Produtos da Sociobiodiversidade, que tem por objetivo divulgar a diversidade biológica, social e cultural da região, por meio da troca e comercialização de produtos da agricultura de base familiar ou comunitária. A feira ficará montada na entrada da Faem durante os três dias do evento.

E, no último dia, será realizada plenária para elaboração de uma carta com as diretrizes gerais do evento, valorizando os aprendizados e sinalizando as discussões que devem permear a próxima edição. A ideia é divulgar essa carta nos espaços de interação dos grupos, de maneira a contribuir com as agendas de atuação dos diversos agentes da sociobiodiversidade que participaram do evento.

O evento Guardiões da Sociobiodiversidade: Sementes Crioulas, Frutas Nativas e Agroflorestas é realizado em conjunto pela Embrapa Clima Temperado, UFPel, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul), Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PGDR/UFRGS) e Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Embrapa e a promoção da sociobiodiversidade

Além do evento, o envolvimento da Embrapa Clima Temperado no tema abrange uma rede de quatro projetos, em parceria com outras instituições, para transferência de tecnologias sustentáveis sobre restauração e valorização da biodiversidade em diferentes regiões do RS. O objetivo é restaurar e valorizar a vegetação nativa; apoiar a regularização de passivos ambientais; e garantir segurança alimentar, hídrica e energética no Rio Grande do Sul.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink