Evento na BA discutirá estratégias de combate ao abate clandestino

Agronegócio

Evento na BA discutirá estratégias de combate ao abate clandestino

"A soma de esforços com o Ministério Público e órgãos de defesa é indispensável para uma reversão desse quadro"
Por: -Joana
1490 acessos
No próximo dia 17 de junho, será realizado o 1º Encontro Baiano sobre Abate e Comércio Ilegal de Carnes. O evento, que tem à frente o Ministério Público Estadual e o apoio do Sindicato das Indústrias de Carne do Estado da Bahia (Sincar), tem como público-alvo promotores públicos especializados em Saúde, em Justiça e em Meio Ambiente, além de agentes fiscalizadores, gestores estaduais e municipais, indústria de frigoríficos, dentre outros, e acontecerá no Fiesta Convention Center, das 9h às 18h. No centro das discussões, o abate clandestino, situação da qual procedem 45,6% da carne consumida do estado, e que coloca em risco a saúde de, aproximadamente, seis milhões de pessoas, segundo dados do Relatório da Produção de Carne Bovina no Estado da Bahia, elaborado pelo Sincar, que será apresentado na ocasião.

De acordo com o presidente do Sincar, Julio Farias, a soma de esforços com o Ministério Público e órgãos como a Polícia Rodoviária e a Agência de Defesa Agropecuária do Estado da Bahia (Adab) é indispensável para uma reversão desse quadro alarmante. Segundo ele, além do problema de saúde pública na ponta da cadeia produtiva, que é a carne que o consumidor final leva para casa, com grandes chances de contaminação, a clandestinidade, gera sérios problemas ambientais, sociais e econômicos.

“Hoje, o abate formal gera em torno de 15 mil empregos na Bahia. Com a erradicação da clandestinidade, poderiam ser 30 mil”, avalia Julio Farias. Outro exemplo, este, do ponto de vista ambiental, é a destinação incorreta dos dejetos. “O abate de um bovino gera mais de 95 quilos de resíduos sólidos e líquidos, altamente contaminantes, se não tratados devidamente. E só quem tem as condições de realizar este tratamento é a indústria frigorifica, pois a estrutura para isto depende de investimentos”, alerta.

Além das questões ligadas aos processos na cadeia produtiva da carne, o 1º Encontro Baiano sobre Abate e Comércio Ilegal de Carnes vai abordar aspectos de nutrologia e saúde humana, com a presença do médico cardiologista e chefe do Departamento de Nutrologia e Nutrição Clínica do Hospital do Coração de São Paulo (HCor - SP), Daniel Magnoni. O médico versará sobre a importância da proteína animal para a saúde humana. Para tratar do aspecto sanitário, o evento trará o renomado professor da Unicamp, Pedro Felicio, que ministrará a palestra Qualidade de Carne Bovina – aspectos higiênicos, sanitários e organoléticos.

Ao final do evento, as propostas para o setor serão apresentadas. “A idéia é criar uma equipe permanente de fiscalização”, diz o presidente do Sincar.
 
 
As informações são da assessoria de imprensa do Sincar

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink