Ex-diretor da maior ONG de conservação ambiental do mundo é nomeado assessor especial do Mapa

Agronegócio

Ex-diretor da maior ONG de conservação ambiental do mundo é nomeado assessor especial do Mapa

Campari: produtor rural brasileiro é um prestador de serviços ambientais importantes
Por:
674 acessos

O Diário Oficial da União desta segunda-feira (18 de julho) publicou a nomeação de João Campari para o cargo de assessor especial do ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Ex-diretor e economista-líder da ONG The Nature Conservacy (TNC), Campari será responsável pela interlocução do ministério com organizações nacionais e internacionais ligadas ao meio ambiente. Blairo Maggi considera essencial o diálogo do governo federal com as organizações ambientalistas, o que contribui para o desenvolvimento sustentável da agropecuária brasileira.

 Desde que assumiu o Mapa, Blairo Maggi tem repetido que a agricultura brasileira é compatível com a preservação ambiental. Uma das principais atribuições de Campari será a de buscar a sintonia entre a atividade agropecuária e o meio ambiente, tanto no debate sobre o cenário ambiental brasileiro como na elaboração de propostas de políticas públicas.

 O ministro conhece o trabalho de Campari desde quando era governador de Mato Grosso. Segundo Blairo Maggi, o novo assessor especial do Mapa dará uma enorme contribuição ao governo federal, principalmente por trazer a experiência de quem dirigiu e liderou programas importantes da TNC, maior organização de conservação ambiental do mundo, com representação em mais de 30 países.

Além de produzir alimentos, destaca Campari, o produtor rural brasileiro é um prestador de serviços ambientais importantes, que nem sempre são reconhecidos ou remunerados pelo mercado. "Propriedades rurais bem manejadas ajudam a regular o balanço hídrico e a dar suporte ao conforto climático, ambos de extrema relevância para a saúde do planeta", diz.

O novo assessor especial do Mapa vai trabalhar para ajudar os produtores rurais brasileiros a internalizarem esse novo conceito e a buscar formas para remunerar a agregação de valor.  "O mundo precisa reconhecer e recompensar a agricultura brasileira pelos serviços ambientais prestados", argumenta Campari, que fez mestrado e doutorado em economia na Universidade do Texas, cursou gestão de negócios na Harvard Business School e tem livros e artigos publicados.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink