Excesso de chuvas preocupa agricultores de Dourados (MS)

Agronegócio

Excesso de chuvas preocupa agricultores de Dourados (MS)

Na sexta-feira voltou a ocorrer pancadas isoladas e o sol apareceu à tarde
Por: -Cícero Faria
1 acessos

A continuidade das chuvas, que têm sido diárias na região de Dourados (MS), está preocupando os produtores de soja, devido ao encharcamento do solo, já que as precipitações tem sido acima da média, embora os técnicos afastem risco de alguma perda por isso. Ontem (05-01) voltou a ocorrer pancadas isoladas e somente à tarde o sol apareceu mais forte.

As chuvas das últimas semanas ultrapassaram 300 milímetros, ou seja, há umidade demais, favorecendo o surgimento da ferrugem asiática, doenças de final de ciclo, como a antracnose, e as plantas estão ressentindo esse excesso hídrico. De 1º de janeiro ao dia 4 choveu 45,8 milímetros em Dourados, conforme os registros da Embrapa Agropecuária Oeste. Somados 276 mm de dezembro, isso significa que em pouco mais de um mês foram 321,8 milímetros.

Como o tempo tem permanecido nublado – com temperatura média de 24 a 25 graus, a evaporação da água(ou evapotranspiração, na linguagem técnica) é lenta, atingindo a 3,1 mm na quinta-feira, retardando a secagem do solo neste dias chuvosos ou nublados.

Os institutos de meteorologia prevêem chuva acima da média agora em janeiro. O normal para esta época do ano em Dourados é de 210 milímetros. Mas as previsões indicam que poderá chover em torno de 300 mm até o final do mês.

Na região sul do Estado, as lavouras de soja estão nas fases de floração (30%) e desenvolvimento vegetativo (70%), apresentando bom aspecto. Segundo a assistência técnica, 80% das lavouras estão em bom estado e 20% em situação regular – essas devido a falta de chuva após o plantio atrasado.

Porém, o agrônomo Sérgio Luiz Miranda reconheceu ontem que "há um certo temor dos produtores pelos efeitos da chuvarada. Mas é melhor água de mais, do que de menos". Ele garantiu que mesmo como excesso de umidade na terra, "não existe possibilidade de perdas. Por causa da seca ocorrida no começo da safra, a soja enraizou mais, em busca de água, e isso garante a integridade da planta".

Miranda lembrou que a tendência nos próximos dias é ter dias mais ensolarados na região de Dourados – apenas das previsões de períodos encobertos, o que ajudará a eliminar o excesso de água do solo nas lavouras de soja.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink