Expansão do Jaíba terá participação maior da agricultura familiar

Agronegócio

Expansão do Jaíba terá participação maior da agricultura familiar

Emater-MG presta assistência a 2 mil propriedades de agricultores familiares.
Por:
1280 acessos

A expansão do Projeto Jaíba, considerado o maior projeto de agricultura irrigada da América Latina, contará com a participação social, sobretudo de movimentos ligados à agricultura familiar. A retomada dos trabalhos já começou e a previsão é que as etapas 3 e 4 do projeto, paralisadas há anos, sejam entregues até o fim de 2018.

“Nosso compromisso é fazer um projeto que considere as demandas de quem vive na região. Os trabalhadores rurais são parte da estratégia para impulsionar a produção no Jaíba e garantir mais emprego e renda”, diz o secretário de Estado de Desenvolvimento Agrário, Professor Neivaldo.

O projeto de expansão do Jaíba prevê a implantação de infraestrutura em uma área de seis mil hectares e o assentamento de até 1.200 famílias de agricultores. O canal principal de irrigação da etapa 3 já está instalado.

“Pela primeira vez, os trabalhadores rurais e acampados serão ouvidos porque não achamos legítimo fazer o projeto sem o diálogo. Essa é uma tarefa que o governador Pimentel nos demandou”, afirma a chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Lígia Pereira.

Uma missão do Governo de Minas Gerais esteve este mês no Jaíba, no Norte de Minas, para uma agenda de trabalho. No roteiro, reunião com diversas lideranças na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, apresentação de bairros com vulnerabilidade social e visita ao projeto.

Demandas sociais

O presidente do STR, Adelmar Ramos Novais, afirmou que é preciso uma série de ações de cunho social para garantir a inclusão dos trabalhadores rurais no projeto, que há décadas se desenvolve de maneira desordenada. “Têm famílias que estão acampadas há mais de dez anos no Jaíba e não têm suas terras regularizadas”, diz Adelmar.

Outras necessidades apontadas são o acesso à agua e energia elétrica, reforço da assistência técnica, fortalecimento da comercialização dos produtos e implantação de escolas agrícolas, qualificação profissional para os jovens e de programas sociais, sobretudo no combate ao consumo de drogas.

“Espero que a esperança seja renovada com essa nova etapa do projeto”, afirma o representante dos acampados no Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMRDS), Edvaldo Pires de Souza.

Hoje a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG) presta assistência a 2 mil propriedades da agricultura familiar e a 300 produtores da área empresarial das fases 1 e 2 do projeto. A produção diária chega a cerca de 1.200 toneladas, com destaque para a banana, mandioca, manga, limão, abóbora, entre outras culturas.

A ideia do Governo de Minas Gerais é fazer uma gestão integrada às primeiras etapas do projeto, hoje sobre coordenação do Distrito de Irrigação do Jaíba (DIJ). Com a aprovação do projeto de lei do Poder Executivo que extingue a Ruralminas, as ações de responsabilidade da fundação no Jaíba serão executadas por outros órgãos estaduais.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink