Expedição Safra encerra temporada 2015/16 e revisa Indicador Brasil para 210 milhões de toneladas de grãos

Agronegócio

Expedição Safra encerra temporada 2015/16 e revisa Indicador Brasil para 210 milhões de toneladas de grãos

Revisão foi puxada para baixo em razão da quebra de 50% na região do Matopiba
Por:
1234 acessos

Revisão foi puxada para baixo em razão da quebra de 50% na região do Matopiba
 
Com a colheita chegando ao fim no Centro-Norte do Brasil, a Expedição Safra revisou os indicadores da temporada 2015/16 para uma produção total de grãos de 210 milhões de toneladas. A redução foi puxada, principalmente, pela quebra no Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). A seca intensa causada pelo El Niño resultou em perdas de até 50% nas lavouras de soja da região conhecida como a nova fronteira agrícola brasileira.
 
“Apesar de termos considerado o efeito clima nas projeções iniciais, o El Niño foi muito mais agressivo, a falta de chuva e o excesso de chuva em diferentes regiões foram ao extremo. Mesmo assim o resultado é positivo. Estamos terminando uma safra com 210 milhões de toneladas de grãos, volume igual ao da temporada anterior”, destacou o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Safra, Giovani Ferreira.
 
O Indicador Brasil foi revisado para baixo esta semana e divulgado durante o encontro técnico de encerramento da Expedição Safra 10 Anos que ocorreu na quarta-feira (19), na sede da INTL FCStone em São Paulo. O evento reuniu 70 pessoas, entre técnicos e produtores, para debater os resultados do ciclo atual e as tendências para a temporada 2016/17, com destaque para financiamentos e o mercado de fertilizantes.
 
”Conversamos com produtores de diferentes regiões do país e, com exceção dos produtores do Rio Grande do Sul que estão preocupados com o clima, todos os outros falam em financiamento. Principalmente público. Como as limitações de crédito e o aumento dos juros vão impactar nas decisões para a safra 2016/17”, declarou a consultora da INTL FCStone, Natália Orlovicin, durante a palestra “Safra 2016/17: ameaça a expansão.
 
Giovani destaca que nas próximas semanas, com o encerramento da colheita no Matopiba e o avanço da colheita do milho de segunda safra no Paraná e em Mato Grosso, é possível uma nova redução no potencial produtivo e, por consequência da produção total de grãos no Brasil.
 
Milho
As projeções da Expedição Safra apontam que o cenário do milho deve ficar ainda mais apertado na próxima temporada. “Vamos produzir perto de 81 milhões de toneladas. Consumindo 55 milhões de toneladas no mercado interno e exportando 35 milhões de toneladas, vamos precisar de mais milho”, avalia Ferreira. As projeções são boas para o produtor do cereal, mas devem afetar de forma negativa a cadeia produtiva de frango e suínos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink