Expocrato pode ficar comprometida

Agronegócio

Expocrato pode ficar comprometida

Por:
252 acessos
A Exposição Agropecuária do Crato pode ficar comprometida em função da classificação da aftosa

Crato. Desta vez, não tem prorrogação. O pecuarista que não vacinar o rebanho até o próximo dia 30, será notificado e multado. A advertência é dos técnicos da Ematerce que, a partir desta segunda quinzena de abril, intensificaram a campanha de vacinação contra a febre aftosa no Cariri. A vacinação do rebanho é de responsabilidade direta dos produtores, cabendo à Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) as ações de motivação, capacitação, orientação, apoio e monitoramento. A classificação do Estado para a aftosa, “risco desconhecido”, pode comprometer a realização da Exposição Agropecuária do Crato.


A dose de vacina pode ser encontrada nas casas veterinárias e lojas especializadas por um preço médio de R$ 1,20. Os técnicos lembram que o Ceará, segundo a classificação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), é considerado área de risco desconhecido de aftosa. Na primeira etapa de vacinação de 2008, o Estado alcançou um índice de 90,30% e, na segunda etapa, atingiu 87,6% de imunização do rebanho.

“No Cariri, o quadro é mais preocupante em razão da Exposição Agropecuária que é realizada no Crato no mês de julho”, diz o médico veterinário Joaquim Helder Pinheiro. O evento reúne pecuaristas da maioria dos Estados do Nordeste. As barreiras sanitárias, segundo os médicos veterinários, impedirão a saída dos animais e, consequentemente, a comercialização do rebanho com outros Estados.


A vacinação é apenas um dos itens exigidos pelo Ministério para mudar a atual classificação do Ceará. O Estado precisa também finalizar o Cadastro Agropecuário do seu rebanho, que deverá ser concluído até o fim deste mês, bem como a estruturação da Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adagri), com a realização de concurso público, dentre outras exigências.

“O Estado vem cumprindo as metas estabelecidas pelo Ministério, buscando assim atingir a situação de médio risco da doença”, diz o médico veterinário Rosifran Lins, destacando o engajamento de prefeitos, secretários municipais de Agricultura, entidades de classe, extensionistas, técnicos e criadores na campanha.


A febre aftosa é uma doença viral, altamente contagiosa, que afeta os animais de casco fendido, como bovinos. É encontrada na Europa, América do Sul, África e Ásia. O vírus raramente ataca o ser humano.

O vírus da doença se concentra nos líquidos das vesículas do animal contaminado. Assim, quando essas vesículas estouram, o vírus passa a infectar os alojamentos, pastos e as estradas por onde passa o animal doente. O vírus pode também espalhar-se por meio do vento e percorrer grandes distâncias.

O animal contaminado apresenta febre alta, salivação, depressão, cansaço, anorexia e andar coxo, causado pelas vesículas dolorosas que aparecem nos espaços interdigitais das patas do animal.

Embora os animais contaminados percam peso e a capacidade de gerar leite, a taxa de mortalidade é de apenas 5% nos adultos. O perigo maior da aftosa é o fato de ser uma doença altamente contagiosa.

Mais informações:

Ematerce do
Rua Maildes Siqueira, ao lado do Parque de Exposições
(88) 3102.2393
www.ematerce.ce.gov.br
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink