Exportação de flores e plantas em 2006 supera a de 2005

Agronegócio

Exportação de flores e plantas em 2006 supera a de 2005

De janeiro a novembro as exportações chegaram a US$ 27,43 milhões
Por: -Redação
6 acessos

A exportação de flores e plantas brasileiras deu sinais claros de vigor em 2006. Levantamento realizado pelo engenheiro agrônomo Antônio Hélio Junqueira e pela economista Márcia Peetz, diretores da Hórtica Consultoria e Treinamento, de São Paulo, revela que de janeiro a novembro de 2006 o País acumulou vendas internacionais de US$ 27,43 milhões. Esse valor é 9,58% maior que o apurado em todo o ano de 2005, quando o País exportou US$ 25,75 milhões.

"Ainda faltam contabilizar as exportações de dezembro, que sempre foi um ótimo período para as exportações de flores e plantas brasileiras. Por isso, as projeções são de que o País chegará ao fim deste ano com valores exportados próximos ou até superiores a US$ 30 milhões", explica Hélio Junqueira na análise que produz sobre as exportações do setor a partir da base de dados da Secex.

Segundo Junqueira, apesar de os gargalos logísticos e da valorização do real diante do dólar, a análise dos dados mostra que o Brasil tem mantido um crescimento sustentável das exportações de flores e plantas ornamentais. "Estamos mantendo taxas reais de aumento de vendas, em dólar, que variam de 10% a 15% ao ano", assinala.

Na análise, o agrônomo traça alguns fatores positivos e negativos que podem impactar o setor em 2007. Entre os fatores que podem ocorrer e que o engenheiro agrônomo considera como positivos está a perspectiva de revisão da política cambial, com desvalorização do real diante do dólar, além da consolidação do crescimento das exportações na União Européia e a continuidade do aumento do consumo de flores e plantas no Leste europeu, Ásia e Oriente Médio.

No outro extremo existem fatores que poderão trazer dificuldades ao setor . Um deles é a própria continuidade da atual política cambial, avalia o especialista. A logística de exportação também pode contribuir para uma queda no desempenho do setor. A concorrência chinesa (bulbos e mudas) e colombiana (flores frescas ao mercado norte-americano) também são desafios a serem superados.

Balança comercial

Se avaliada a balança comercial do setor de flores e plantas ornamentais brasileiras o resultado também é favorável. No período de janeiro a novembro, o saldo acumulado foi de US$ 19,91 milhões, mantendo o desempenho de importação na faixa de 27% sobre os valores exportados. Segundo Junqueira, esse valor deve-se à importação de materiais de propagação como bulbos e mudas, necessários para manter a atividade no Brasil.

Na análise da exportação por segmentos, o de mudas de plantas ornamentais foi o mais representativo nas exportações brasileiras. De janeiro a novembro de 2006 respondeu por 43,51% das vendas internacionais do País, trazendo US$ 11,93 milhões em divisas. Na segunda posição aparece o segmento de bulbos, tubérculos, rizomas e similares, que representou 36,48% nos 11 primeiros meses de 2006, fechando na casa dos US$ 10 milhões. As informações são da Agência Sebrae de Notícias.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink