Exportações brasileiras de café alcançaram o segundo maior recorde
CI
Imagem: Editora Gazeta
RECORDE

Exportações brasileiras de café alcançaram o segundo maior recorde

Brasil manteve bom desempenho na temporada 2019/20, mesmo com a safra menor e os desafios da pandemia
Por:

O ano-safra comercial 2019/20 do café brasileiro, líder mundial, que iniciou em julho de 2019 e encerrou em junho de 2020, registrou quase 40 milhões de sacas vendidas, o segundo maior recorde histórico (o maior foi no ciclo anterior, com 41,4 milhões de sacas). “O desempenho das exportações foi muito positivo e refletiu os grandes esforços de toda a cadeia produtiva para exportar o café brasileiro com eficiência, apesar dos desafios da pandemia nos últimos quatro meses e do baixo ciclo apresentado na safra 2018/19”, observou Nelson Carvalhaes, presidente do Conselho dos Exportadores do Brasil (Cecafé), em 13 de julho de 2020.

O dirigente lembrou todo o empenho do setor em adotar os cuidados necessários na prevenção, garantindo a saúde e a proteção de todos os profissionais envolvidos. Em relação ao recorde anterior, as vendas diminuíram apenas 3,6% em volume e 5,9% em receita cambial (US$ 5,1 bilhões), mas tiveram acréscimo de 8,8% em reais, totalizando R$ 22,9 bilhões. Chamaram atenção também maiores envios de cafés robusta (mais 22,7%, equivalendo a 11,1% do total). Os arábicas representaram 78,8% do total, o industrializado solúvel, 10% e o torrado&moído, 0,1%. Ainda os cafés diferenciados corresponderam a 17% do total.

As exportações brasileiras de café, que têm participação de cerca de 32% do total mundial, foram destinadas a 125 países no ano-safra. Além de acréscimos havidos para os principais mercados (Estados Unidos e Alemanha), os maiores destaques em termos de crescimento de vendas foram o México (111,8%), a Federação Russa (24,9%) e a Espanha (6,7%). O Cecafé enfatizou o aumento da venda de café verde para países produtores (mais 41,8% sobre o período anterior), entre os quais se incluem México, Equador, Indonésia e Vietnã. Entre os exportadores brasileiros figuram 260 empresas, 22 cooperativas e 21 produtores, utilizando 25 portos de embarque, destacando-se o de Santos, com 79,2% do total.

COM QUALIDADE

Em relação ao novo período das exportações (ano-safra 2020/21), o Cecafé está novamente confiante. “Estamos otimistas com as perspectivas de uma boa safra em curso, tanto em café arábica quanto para o conilon, que até o momento vem se apresentando com muito boa qualidade”, assegurou o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes. Demonstrou toda a confiança de que “o mundo poderá saborear ainda mais o café brasileiro no próximo ano cafeeiro, com qualidade, eficiência e sustentabilidade”.


 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink