Exportações de álcool deverão crescer

Agronegócio

Exportações de álcool deverão crescer

A expectativa é de que os embarques fiquem em torno de 4 bilhões de litros, ante 3,5 bilhões do ciclo que se encerra neste mês de abril
Por:
66 acessos
As exportações brasileiras de álcool deverão crescer 14% na safra 2008/09, segundo estimativas de Luiz Carlos Corrêa Carvalho, diretor-sócio da consultoria sucroalcooleira Canaplan. A expectativa é de que os embarques fiquem em torno de 4 bilhões de litros, ante 3,5 bilhões do ciclo que se encerra neste mês de abril.


De acordo com Carvalho, o mercado americano deverá ser o principal destino do produto brasileiro. "Os custos com energia continuarão altos durante a primavera e verão dos EUA, o que poderá estimular as importações.".

Carvalho foi contratado pela multinacional americana FMC para ser um dos coordenadores de um evento internacional para promover o etanol brasileiro. A FMC está patrocinando uma viagem entre os dias 6 e 11 de abril, com destino aos Estados Unidos (Miami), México e Guatemala, para discutir oportunidade de negócios nessas regiões.


Segundo Vicente Gongora, diretor de marketing da FMC, o grupo tem forte interesse na expansão da produção de etanol a partir da cana de açúcar.

Com faturamento global de US$ 800 milhões, o Brasil representou 40% do total em 2007. "O segmento canavieiro representa 30% dos nossos negócios no Brasil, com a venda de insumos para o setor", afirmou Gongora.

Executivos de 17 grupos de açúcar e álcool, representantes do governo e Petrobras participarão dessa viagem para conhecer os mercados potenciais para o álcool na América Central, México e nos EUA. "Os empresários brasileiros não têm real noção do potencial de mercado para o álcool destas regiões", disse Carvalho. Segundo ele, as regiões do Caribe têm condições de implementar o programa de consumo de álcool em seus países. "A América do Norte tem um déficit de 3 bilhões de litros de álcool. O Canadá e o México são potenciais consumidores de álcool", afirmou.


No México, o programa de álcool praticamente não existe. Uma missão do governo do Estado de São Paulo esteve naquele país para discutir troca de tecnologia entre os dois países nesta área.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink