Exportações de carne suína, em junho, surpreendem

Agronegócio

Exportações de carne suína, em junho, surpreendem

Houve um aumento de 12,35% em volume
Por: -Janice
2021 acessos
Houve um aumento de 12,35% em volume

As exportações de carne suína, em junho, revelaram um resultado surpreendente: um crescimento de 12,35% em volume, em relação a igual mês de 2010. O faturamento também aumentou (29,65%) no período, o que se explica pela elevação do preço médio da carne suína de 15,39%, em junho, na comparação com o preço obtido em junho de 2010.
As vendas externas aumentaram, apesar do embargo russo iniciado em 15 de junho, depois do anúncio feito pela autoridade sanitária da Rússia, Rosselkhoznadzor, no dia 2 do mês passado. O anúncio de possível embargo, nessa data, levou importadores e exportadores a anteciparem negócios e embarques na primeira quinzena do mês, em nível superior ao que todos haviam imaginado, explica Pedro de Camargo Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS.

Em junho, as vendas para a Rússia totalizaram 24.664 toneladas e US$ 77,85 milhões, um aumento de 19,59% em volume e 36,01% em valor, em relação a junho de 2010. Foram as compras russas que garantiram o bom desempenho das exportações de carne suína no mês.

Missão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA liderada pelo secretário de Defesa Agropecuária, Francisco Jardim, e pelos diretores Luiz Carlos de Oliveira, do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal – DIPOA, e Guilherme Marques, do Departamento de Saúde Animal – DAS, esteve em Moscou, nesta semana, para reuniões na Rosselkhoznadzor.

“A ABIPECS continua otimista, pois espera para breve a reabertura do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso e a aprovação de nova lista de estabelecimentos certificados dentro dos critérios mais rigorosos da autoridade sanitária russa”, afirma Pedro de Camargo Neto.

Aumento nas vendas para Hong Kong e Argentina - As vendas para Hong Kong, segundo maior comprador, atingiram 9.695 toneladas e US$ 24,12 milhões, um aumento de 8,64% em volume e 30,10% em valor, na comparação com junho de 2010.
Para a Argentina, terceiro principal mercado, os embarques foram de 2.473 toneladas, e o faturamento atingiu US$ 7,36 milhões, uma elevação de 27% em volume e de 33,57% em valor.

As exportações para a Ucrânia, em junho, caíram 23,72% em volume (3.205 t, em relação a 4.202 t em junho de 2010) e 10,52% em valor (US$ 10 milhões).

Reabertura da África do Sul - A reabertura do mercado da África do Sul foi excelente notícia. No dia 29 de junho, ao saber da novidade, o presidente da ABIPECS distribuiu nota à imprensa informando que a medida “corrige irregularidade, totalmente em desacordo com as regras de comércio internacional amparadas pelo Acordo sobre as Medidas Sanitárias e Fitossanitárias da Organização Mundial do Comércio (OMC), que causou sérios prejuízos à suinocultura desde outubro de 2005”.

VEJA MAIS INFORMAÇÕES NO SITE http://www.abipecs.org.br

Japão - O Japão confirmou o envio de missão veterinária na segunda quinzena de agosto. Após dois anos de intensa troca de informações, o estado de Santa Catarina deve ser visitado, criando importante expectativa de abertura do maior mercado importador do mundo, conclui Pedro de Camargo Neto.

As informações são da assessoria de imprensa da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink