Exportações de carnes cresceram 32% até setembro

Agronegócio

Exportações de carnes cresceram 32% até setembro

Outro destaque positivo da pauta exportadora do agronegócio foi as exportações do complexo soja, que bateram novo recorde com aumento de 18,3%
Por:
213 acessos

As exportações do conjunto das carnes cresceram 32%, de janeiro a setembro, como resultado do aumento de 19% do volume exportado e de 10,9% dos preços internacionais. Outro destaque positivo da pauta exportadora do agronegócio, as exportações do complexo soja bateram novo recorde, com aumento de 18,3%, totalizando US$ 8,96 bilhões.

Estes dois segmentos foram os principais responsáveis pelo saldo da balança comercial do agronegócio, de janeiro a setembro, de US$ 36,64 bilhões, que representa um aumento de 16,91% em relação ao mesmo período do ano passado, de US$ 31,34 bilhões. Com base neste quadro, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) projeta para 2007 um crescimento de 11,3% das exportações, totalizando US$ 55 bilhões, frente aos US$ 49,4 bilhões de 2006. O saldo da balança comercial do agronegócio deverá ficar em US$ 47 bilhões este ano.

O crescimento mais expressivo das exportações do conjunto das carnes foi do segmento da carne de frango, cujas exportações aumentaram 45,3% até setembro, alcançando US$ 3,28 bilhões no período. Segundo o assessor técnico da Comissão Nacional de Comércio Exterior da CNA, Antônio Donizeti Beraldo, “as exportações de carne de frango deverão superar as exportações de carne bovina em 2007”. Na sua avaliação, o aumento de 19,8% do volume exportado de carne de frango e de 21,3% dos preços do produto explicam estes resultados. Mas as exportações de carne bovina e de carne suína também cresceram em ritmo muito semelhante, aumentando 17,7% e 16,6%, respectivamente.

Outro aumento significativo das exportações agropecuárias brasileiras ocorreu com o milho. De janeiro a setembro, as exportações do produto já aumentaram 252,3%, alcançando um resultado inédito de US$ 1,14 bilhão no período. “O aumento do consumo interno de milho nos Estados Unidos para a produção de etanol e a conseqüente redução das suas exportações abriram espaço para o milho brasileiro no mercado internacional”, explica Donizeti. É a primeira vez que as exportações de milho superam o valor de US$ 1 bilhão. “O milho passou a ser um item representativo da pauta exportadora agrícola brasileira”, afirma o assessor técnico da CNA.

Apesar da redução no ritmo de crescimento das exportações do agronegócio, a expansão das exportações do setor continua superior ao crescimento das exportações totais do Brasil. Segundo Donizeti, esse descompasso entre a expansão das exportações do agronegócio, que aumentaram 18,7% até setembro, e o crescimento de 15,5% do total das exportações nacionais aumentou a participação do setor no total das exportações brasileiras de 35,7% para 36,7% de janeiro a setembro deste ano. As informações são da assessoria de imprensa da CNA.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink