Agronegócio

Exportações de couros: crescimento no balanço do semestre

A avaliação sobre o mês de junho exclusivamente também apresenta crescimento
Por:
532 acessos

O primeiro semestre de 2016 se encerrou com alta nas exportações de couros do Brasil. De janeiro a junho deste ano, o país comercializou junto ao mercado externo 99,785 milhões de metros quadrados de couros, o que significa um crescimento de 9,7% ante o mesmo período de 2015, com destaque expressivo para os produtos de maior valor agregado. As informações são da Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), com análise da Inteligência Comercial do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB).

A avaliação sobre o mês de junho exclusivamente também apresenta crescimento: 5,9% a mais em metros quadrados em relação a junho de 2015. Tanto no recorte de junho como no balanço do ano, há um dado importante a sublinhar: a ampla participação e a alta nas exportações de couros nos estágios semiacabado e acabado, ou seja, com maior valor agregado. Somente no último mês, estes dois tipos de couros representaram 75,5% do total das vendas do país no mercado internacional em metragem; no semestre, o crescimento do couro semiacabado em área já chega a 115,4%, e o acabado, 14,7% (sobre igual período do ano passado).
 
O presidente executivo do CICB, José Fernando Bello, destaca que as exportações brasileiras crescem mesmo com a indústria vivendo grandes desafios em 2016. As três principais dificuldades, aponta o executivo, são a queda considerável de demanda da China, a flutuação do câmbio e a formatação de preço de matéria-prima. “Estes são pontos muito importantes que impactam no dia a dia da indústria e no resultado em valores de exportações (US$ 1,046 bilhão no ano, menos 15,8% em relação a 2015).

Mas estamos conseguindo superar obstáculos e elevar as exportações em volumes, apesar das dificuldades, contando com um extenso trabalho de relacionamento que o país desenvolve de forma permanente com o mercado internacional”, afirma. As ações do projeto Brazilian Leather – uma iniciativa do CICB e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) – têm se mostrado determinantes para estes resultados positivos para o setor. 
 
Os principais países compradores de couro brasileiro em 2016 foram, nesta ordem, China e Hong Kong, Itália, Estados Unidos, Vietnã e Hungria. Só neste ano já são quase 68 países comprando o produto brasileiro. O ranking dos estados exportadores no semestre é: Rio Grande do Sul (22,8% de participação no total), São Paulo (21%), Goiás (15,2%), Paraná (7,8%) e Ceará (7,7%).
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink