Exportações de tabaco mantêm ritmo estável em 2018

Exportações

Exportações de tabaco mantêm ritmo estável em 2018

Em 2018, a região Sul do Brasil embarcou 457.459 toneladas de tabaco. No ano anterior foram 458.766 toneladas
Por:
141 acessos

As exportações brasileiras de tabaco tiveram uma leve redução em 2018 em relação a 2017. No ano passado, de acordo com balanço do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (Sinditabaco), a região Sul exportou  457,4 mil toneladas, com movimentação aproximada de US$ 1,9 bilhão. Em 2017, o montante vendido ao exterior chegou a 458,7 mil toneladas, com receita de US$ 2,05 bilhões. A retração segue tendência dos últimos três anos, em quantidade e movimentação financeira .

O presidente do Sinditabaco, Iro Schünke, considera que a variação nas exportações de tabaco do País não é muito significativa. Para o dirigente, há uma estabilidade no mercado. Acredita que em 2018 o volume embarcado só não superou o ano anterior em função da postergação, por parte da China, dos embarques do tabaco negociado – que será despachado nos primeiros meses deste ano. Outro fator apontado pelo dirigente é a greve dos caminhoneiros, em maio.

Em relação aos valores gerados pelas exportações, Iro Schünke destaca que há interferência de vários fatores, como os tipos de tabaco negociados e os destinos para onde são vendidos. “Os países compram variedades diferentes com preços diferentes”, justifica. De acordo com Schünke, nos últimos anos o Brasil tem tido safras parecidas, com produção girando entre 650 a 700 mil toneladas, o que também justifica a paridade no balanço final das exportações do tabaco nacional.

Apesar da ligeira redução nos números, o Brasil continua no topo do ranking mundial da exportação há 26 anos, seguido por Zimbábue, Índia e Estados Unidos. Atualmente, conforme o Sinditabaco, o Brasil detém de 25% a 30% dos negócios mundiais de tabaco. O produto representa 0,8% do total de exportações brasileiras e 3,9% dos embarques da região Sul do País. Somente o Rio Grande do Sul, maior Estado produtor, foi responsável por 7,4% do total dos embarques realizados no ano passado.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink