Agronegócio

Exportações de tradings para árabes caem 43,5%

Principais produtos que elas enviam ao exterior são minério, soja e milho
Por:
1587 acessos
As vendas para a região recuaram de US$ 1,27 bilhão de janeiro a julho de 2012 para US$ 717,4 milhões no mesmo período de 2013. Principais produtos que elas enviam ao exterior são minério, soja e milho

As exportações das trading companies brasileiras para o mercado árabe recuaram 43,5% nos sete primeiros meses deste ano, segundo dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Essas empresas tiveram faturamento de US$ 1,27 bilhão com vendas para países do Oriente Médio e Norte da África de janeiro a julho do ano passado e de US$ 717,4 milhões no mesmo período deste ano.


O maior importador árabe de produtos de tradings nos sete primeiros meses deste ano foi Omã. As compras do país, no entanto, recuaram 8,7%, de US$ 281,1 milhões para US$ 256,6 milhões. A queda foi maior nas importações do segundo maior comprador, a Arábia Saudita, cujas encomendas caíram de US$ 292,1 milhões para US$ 126,7 milhões, baixa de 56%. O Egito, terceiro comprador, diminui as importações de US$ 197,5 milhões para US$ 109, milhões, 44,5% a menos.


A Líbia, o quarto país árabe que mais comprou de tradings do Brasil, aumentou suas importações em 49,6% no período, passando de US$ 56,3 milhões para US$ 84,2 milhões. O quinto maior destino na região, a Argélia, fez compras 11,3% menores, de US$ 36,7 milhões para US$ 32,5 milhões. Ainda entre os árabes, fizeram importações de tradings brasileiras, mas em valores menores do que em 2012, Tunísia, Emirados, Marrocos, Catar, Kuwait, Iêmen, Jordânia, Iraque, Bahrein, Síria, Djibuti, Mauritânia e Ilhas Comores. Aumentaram as importações apenas Líbano e Sudão, além da já mencionada Líbia.


No total, as exportações das tradings do Brasil recuaram 3,75% nos sete primeiros meses deste ano sobre igual período de 2012. O faturamento do setor com o mercado externo ficou em US$ 13,6 bilhões contra US$ 14,1 bilhões anteriores. A China foi o maior destino das exportações e aumentou suas compras em 16% para US$ 5,8 bilhões. O Japão, que foi o segundo colocado, comprou 3,25% mais, com US$ 1,1 bilhão. Minério, soja e milho foram os principais produtos vendidos.


Em julho individualmente, as exportações das tradings recuaram 12%, de US$ 2,2 bilhões para US$ 1,9 bilhão. Também a China e o Japão foram os dois maiores compradores e os produtos mais vendidos no mês passado foram minério, soja e milho em grãos.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink