Exportações mineiras de couros e peleterias batem recorde

Agronegócio

Exportações mineiras de couros e peleterias batem recorde

Números do primeiro trimestre são os mais altos desde 2001
Por: -Janice
950 acessos
Números do primeiro trimestre são os mais altos desde 2001

A receita das exportações mineiras de couros e peleteria, no acumulado de janeiro a março de 2011, foi de US$ 31,2 milhões, informa o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). De acordo com análise da Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea) da Secretaria da Agricultura, a cifra é 116,2% maior que a registrada no primeiro trimestre do ano passado e supera o recorde histórico de US$ 17,9 milhões alcançado nos três primeiros meses de 2001.


Segundo a assessora técnica Márcia Aparecida de Paiva Silva, o crescimento das vendas externas de couros e peleteria por Minas Gerais, no primeiro trimestre deste ano, supera o registrado pelas vendas brasileiras no período. A receita do país foi de US$ 725,5 milhões, valor 7,2% maior que o obtido nos três primeiros meses de 2010.

Os principais destinos das vendas externas de couros e peletaria foram Itália, Hong Kong, Indonésia e China. Esses países, juntos, compraram o equivalente a 71,1% das exportações mineiras. Márcia Silva destaca o crescimento das compras da Itália, que passaram de US$ 199,2 mil, nos primeiros três meses de 2010, para US$ 8,1 milhões no mesmo período de 2011. “As exportações mineiras de couros e peleterias para Hong Kong e China também registraram crescimento expressivo. Nas vendas para Hong Kong, a receita aumentou 777,0%, alcançando US$ 6,8 milhões. Já a receita resultante dos negócios com a China cresceu 158,3%, pois atingiu US$ 3,1 milhões”, comenta a assessora.

Superação

De acordo com Márcia Silva, o crescimento das vendas externas de couros e peleteria de Minas ocorre apesar de aspectos conjunturais desfavoráveis ao aumento das exportações de produtos brasileiros. Os principais, segundo a assessora, são a valorização do real frente o dólar, a carga tributária, as altas taxas de juros e de contribuições sociais e os problemas de logística de transporte e de embarque portuário que acarretam dificuldades ao escoamento dos produtos.


No grupo de couros e peleteria teve destaque a exportação de couros e peles de bovinos (inclusive búfalos) preparados. A exportação desse subgrupo respondeu por 53,7% das exportações mineiras de couros e peleteria nos primeiros três meses de 2011.
Para a assessora, “a expressiva participação das vendas externas de couros e peles preparados torna-se mais evidente ao se constatar que, no primeiro trimestre de 2010, não houve registro de exportações dessa especificação de produto. Assim, as vendas externas desse tipo de produto contribuiu significativamente para o incremento da receita de exportação do grupo couros e peleteria.”

No conjunto das exportações brasileiras, os produtos do subgrupo couros e peles preparados também responderam pela maior parcela do valor exportado. A receita de exportação do subgrupo no primeiro trimestre deste ano chegou a US$ 171,6 milhões, que representou 23,6% do valor exportado por todo o grupo couros e peleterias brasileiro.

Márcia Silva informa que Minas Gerais ocupou a quinta colocação entre os principais Estados exportadores de couros e peles preparados, respondendo por 9,7% das exportações do segmento. São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia e Ceará lideraram as vendas externas brasileiras, com parcelas de 42,7%, 16,2%, 11,6% e 11,2%, respectivamente, das exportações nacionais.


Boas perspectivas

A assessora ainda avalia que as perspectivas para o Estado são positivas, uma vez que se observa, desde 2008, um aumento da participação mineira na produção brasileira de couros de bovinos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A produção mineira, em 2010, foi de 1,2 milhões de unidades, aumento de 15,0% em relação à produção do ano anterior.
“No balanço conjuntural, os pontos positivos têm destaque e apontam para o progressivo fortalecimento do setor. Para incentivar a conquista de novos mercados, a indústria do setor vem dedicando esforços, por intermédio da divulgação e valorização da qualidade do couro nacional em eventos, feiras e missões internacionais”, diz Márcia Silva. “Essas medidas de promoção favorecem as vendas externas e o aumento da rentabilidade dos produtores brasileiros”.

As informações são da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink