Exportações rendem US$ 9,2 bilhões em Mato Grosso

Agronegócio

Exportações rendem US$ 9,2 bilhões em Mato Grosso

Valor gerado pela exportação de soja puxa a balança comercial, e corresponde a 71,9% do total, com US$ 6,056 bilhões
Por:
1669 acessos

Valor gerado pela exportação de soja puxa a balança comercial, e corresponde a 71,9% do total, com US$ 6,056 bilhões

As exportações do agronegócio mato-grossense renderam US$ 9,214 bilhões entre os meses de janeiro e julho deste ano. O valor é 16,7% maior que o movimentado em igual período de 2015, quando US$ 7,890 bilhões foram negociados com os embarques, especialmente, de commodities. O desempenho é resultado da expansão em 36,8% no volume exportado, passando de 19,513 milhões de toneladas em 2015 para 26,708 milhões (t) em igual período deste ano.

O valor gerado pela exportação de soja puxa a balança comercial, e corresponde a 71,9% do total, com US$ 6,056 bilhões. Os dados são do banco de Estatísticas do Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro (Agrostat), mantido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Nos 7 meses encerrados em julho de 2016 foram exportadas 17,953 milhões (t) de soja por Mato Grosso. O volume é 18,4% maior que em igual período do ano anterior, quando 15,160 milhões (t) foram exportadas. O economista Vivaldo Lopes explica que a maior demanda pela soja no mercado internacional resultou da desvalorização do real frente ao dólar.

A exportação de milho aumentou em 111% em volume, passando de 3,798 milhões (t) para 8,017 milhões (t), no período analisado. A movimentação significou aumento de 91,8% nos valores negociados, que passou de US$ 700,031 milhões no ano passado para US$ 1,343 bilhão este ano. “Mas o que isso refletiu de positivo para o agricultor foi quase nulo, já que o cenário em 2015 foi diferente deste ano”, explica o diretor administrativo financeiro da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Nelson Luiz Piccoli.

“Isso porque houve um grande volume de milho exportado em venda antecipada, cuja saca foi comercializada entre R$ 16 e R$ 18, valor bem inferior ao que está sendo vendido hoje no mercado interno. Outro problema é a redução estimada em 8 milhões de toneladas na safra de milho nesta temporada, o que representa um volume muito elevado sobre a nossa produção”, explica Piccoli.

A exportação de carnes (bovina, aves, suínos) gerou US$ 723,856 milhões entre janeiro e julho deste ano. O valor permaneceu estável na comparação com igual período do ano passando, variando positivamente em somente 0,42%, já que em 2015, foram faturados US$ 720,763 milhões. A estagnação no valor ocorreu apesar do aumento de 31,2% no volume exportado, que passou de 196,855 mil (t) em 2015 para 245,172 mil (t) este ano. O paradoxo foi gerado pela desvalorização das proteínas no mercado internacional.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink